A AltaDonna Pizzaria é conhecida pelas suas pizzas de excelência e por um atendimento de qualidade. Quem passa por Ponte de Lima não pode deixar escapar a oportunidade de as provar, tanto na Freguesia da Correlhã como na Freguesia de Arcozelo, na AltaDonna II. Venha conhecer esta pizzaria de sucesso e comprovar por si mesmo!

 

O nosso entrevistado viveu durante 20 anos nos Estados Unidos e voltou para Portugal há 12. Em 2006, João Matos em sociedade com uma cunhada, fundou a AltaDonna Pizzaria que oferece uma gastronomia muito variada, onde a pizza, claro está, não pode faltar!

“Temos pizzas, calzones, massas, pregos, panados, francesinhas, saladas… Toda uma oferta que vai um bocadinho ao desencontro da oferta gastronómica de Ponte de Lima. Também fazemos muitas francesinhas, mas o ponto forte são as pizzas, fazemos em média 600 por semana”, conta João Matos, proprietário.

Além das refeições, as sobremesas não podem ficar de fora. Confecionadas nas Pizzarias, são muitas as variedades que quem por aqui passa pode encontrar: “Fazemos mousse de chocolate, bolo de bolacha, natas do céu, cheesecake, entre outras, e é tudo confecionado aqui. Vêm cá muitas famílias, mas também os mais jovens fazem parte da casa, principalmente em festas de aniversário e últimos dias de aulas”. Assim, a Pizzaria é, também, um ponto de encontro.

Com preços económicos e acessíveis a todos os bolsos, o crescimento foi notório. Como tal, surgiu a necessidade de abrir uma segunda pizzaria, a AltaDonna II, que já conta com quatro anos de casa. Este crescimento revê-se, também, na quantidade de funcionários presentes nas duas casas: “São à volta de 16 pessoas. Graças a Deus nunca tive dificuldade em arranjar funcionários, muitos aprenderam aqui, outros já trabalharam em outros sítios, mas desde que sejamos sérios com todos eles não há problema”.

Para o futuro, a vontade é de permanecer com o sucesso alcançado até aqui que, na ótica de João Matos, não pode ser “mais do que aquilo que já existe. Ao fim de semana tenho uma lista de espera de 30 a 45 minutos, isto fica cheio”, confidencia.

O segredo é a qualidade e não é o proprietário quem o diz, mas sim aqueles que por ali passam e terminam a refeição de uma forma feliz: “Oferecemos qualidade, mas isso não sou eu que digo, são os clientes”, termina João Matos.

Partilhe:
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone