Situada em Montemor-o-Novo, o barómetro económico da pecuária nacional, a APORMOR, Associação de Produtores de Bovinos, Ovinos e Caprinos, foi criada em 11 de julho de 1990. Com 28 anos, esta associação continua a crescer com a ajuda da EXPOMOR, a maior feira de pecuária nacional.

Define-se como agricultor de vocação e engenheiro de formação. Nasceu no mundo rural alentejano e a sua história está em volta deste mundo. Falamos de Joaquim Capoulas, presidente da Associação. “Cresci no campo, aprendi a divertir-me e a brincar com os animais e mais tarde a trabalhar com eles. ‘Ajudava’ o meu pai na sua atividade agrícola, desde muito cedo aprendi a fazer todos os trabalhos agrícolas. Estava habituado a tudo e, por isso, digo que é trabalho e é lazer. Já o meu pai tinha uma máxima que era ‘só é bom agricultor quem gosta da atividade’. Quem gosta, tudo o que ganha investe na agricultura e, quem anda na agricultura só como negócio tudo o que ganha vai gastar naquilo que gosta, portanto depois falta dinheiro nas suas explorações agrícolas e isso por vezes leva ao falhanço”.

A APORMOR surgiu no caminho de Joaquim Capoulas quando teve a honra de ser uma das sete pessoas a fazer a escritura da constituição da Associação, em 1990. Nos dias de hoje, é o único dos sete que ainda faz parte dos órgãos sociais das forças ativas da casa.

“Sou o único que pode dizer que representa o espírito inicial da constituição da APORMOR. O espirito é o associativismo, é a venda em comum, o compartilhar de experiência, o compartilhar de conhecimento, o unir meios para que sirvam a todos, é concentrar aqui todos os serviços que os agricultores e os produtores pecuários necessitam e, ao mesmo tempo, ser um local onde se exploram caminhos a seguir, principalmente no aspeto da comercialização mas também no que diz respeito à produção, ao melhoramento genético, à sanidade, à alimentação, todos esses fatores são os nossos mandamentos, os nossos pontos-chave”.

 

 

Uma organização de agricultores ao serviço da economia alentejana

Com cerca de 150 associados, a APORMOR afirma-se como um polo importante a nível nacional de encontro entre vendedores e compradores de gado vivo. Esta casa alentejana é responsável pela transação de uma média de 24 mil animas da espécie bovina e 18 mil da espécie ovina por ano. Nas suas instalações é realizado um conjunto de serviços que visam contribuir para o apoio técnico, logístico e comercial dos setores pecuário e agrícola. Candidaturas e licenciamentos para explorações, receção e concentração de animais para venda em leilões, no caso dos ovinos realizados em circuito interno, são alguns dos trabalhos realizados pela APORMOR.

Trata-se de uma associação que instiga o desenvolvimento e a gestão de livros genealógicos com o aumento da produtividade e da qualidade genética nas explorações. Em conjunto com o ADS Montemor-o-Novo, a APORMOR tem vindo a desenvolver um programa de sanidade que vai muito além do exigido pelos organismos oficiais.

“À APORMOR resta mostrar através da EXPOMOR aquilo que somos, o que proporcionamos em termos de negócios, de melhoramentos genéticos, queremos atrair pessoas. Juntem-se a nós! A APORMOR não é só dos sócios, é uma associação do concelho, uma associação do Alentejo, uma associação do país… é uma organização de agricultores ao serviço da economia alentejana e nacional”.

EXPORMOR: A maior feira de pecuária nacional

De 29 de agosto de 3 de setembro Montemor-o-Novo vai ser palco de mais uma Feira da Luz/EXPOMOR. Esta, é a maior feira de pecuária a nível nacional.

“Podemos dizer que é a maior feira de pecuária extensiva, ultrapassa sempre os 700 animais, todos os anos vai crescendo. Para estimular a melhoria da produção damos uma ajuda aos nossos associados que comprem aqui os reprodutores machos mais indicados para os cruzamentos que o mercado quer, damos uma subvenção forte para estimular a melhoria e a padronização dos produtos animais. Antigamente esse papel cabia ao Estado, agora não há mais associação nenhuma que dê, mas a APORMOR dá, dá porque conseguiu com o profissionalismo dos colaboradores e com a carolice das pessoas que por aqui passaram arranjar um negócio, concentrar aqui o maior leilão de bovinos do país, que é uma referência, fazemos também uma vez por mês um leilão de ovinos, o único a nível nacional”.

Sendo um ponto de referência a diversos níveis na área da agropecuária, é um marco principalmente para os criadores da região que, já há três anos, chamam a Montemor-o-Novo a ‘Capital Nacional da Pecuária Extensiva’.

 

Partilhe:
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone