26 anos de experiência em cada traço e projeto desenvolvido para cada cliente têm conduzido a PLAN ao sucesso. Fundado em 1991 pelo arquiteto Armando dos Reis, este gabinete conta com uma equipa multidisciplinar especializada nas áreas da arquitetura, urbanismo e interiores. O extenso portfólio e os prémios atribuídos contam uma história marcada pela confiança, proximidade e, sobretudo, desafios únicos.

Aqui cada projeto é único. Foi assim desde o início e continua a ser. Diretamente da Argentina para Portugal, Armando Reis, arquiteto e urbanista, trouxe consigo uma ideologia. Em 1987 foi convidado pela Comissão de Coordenação Regional do Algarve para elaborar o Plano Regional de Ordenamento do Território, um plano pioneiro em Portugal. De seguida, surgiu um novo convite: coordenar o Plano de Urbanização do empreendimento Quinta do Lago. Mas não ficou por aqui e ambicionou mais. Paralelamente a estas atividades, começou a apostar em projetos de moradias, casas e hotéis e fundou a PLAN Associated Architects em 1991 e com ela uma filosofia muito particular que se traduz numa arquitetura à medida do cliente.

Além da busca pela qualidade, inovação e profissionalismo, “desenvolvemos os projetos pensando em cada cliente, necessidade e ideologia. Não somos um atelier com uma linha de arquitetura definida, mas sim orientada para o cliente, em que cada projeto é único. O cliente acaba por ser o nosso cartão-de-visita. Esta filosofia de trabalho tem resultado e conseguimos oferecer o melhor serviço aos nossos clientes”, começa por explicar Matias dos Reis, filho do fundador e diretor da PLAN.

O dom da conceção

Com um conceito multidisciplinar, a empresa assegura desde a fase do planeamento urbano e arquitetura, seja de moradias de luxo na Quinta do Lago e Vale do Lobo, por exemplo até pequenas remodelações pelo país inteiro. Uma equipa especializada assegura os trabalhos de arquitetura pura e ainda interiores. A versatilidade é fundamental para a PLAN que tem apostado no turismo e restauração, tendo já feito algumas estruturas de raiz. “O acompanhamento deve ser constante e fazemos ainda toda a gestão de projeto de obra. É idêntico a um projeto chave na mão e oferecemos uma vasta gama de serviços”, completa o arquiteto e diretor técnico, Luís Caetano.

Soluções para todos

Na realidade, um portfólio extenso e os prémios atribuídos à PLAN ao longo de 26 anos são provas do seu sucesso. A abertura para fazer projetos com diferentes escalas e uma ideologia de trabalho, de arquitetura orientada para o cliente, tem atraído cada vez mais pessoas. “Somos procurados por todo o tipo de clientes devido à variedade de serviços que apresentamos. Trabalhamos numa área muito específica, o chamado Triângulo Dourado, mas também fazemos projetos em outras regiões algarvias, Alentejo, Lisboa e Porto e até fora do país”, relembra o diretor técnico. O número de residentes estrangeiros tem aumentado, bem como a diversidade de nacionalidades, em que se destacam ingleses, belgas, holandeses e franceses.

Mas será simples trabalhar com compradores tão específicos? Matias dos Reis remata: “Temos clientes que chegam com horizontes abertos e dispostos a ouvir as nossas propostas e sugestões. A referência dá confiança e todos sabem que podem contar com a nossa equipa para orientar e solucionar todas as questões. Conseguimos transformar uma ideia numa ideia construída e esse é o grande desafio: tentar compreender o cliente e adaptar às condições do meio”.

Com uma estratégia de localização, a empresa valoriza o mercado em que está inserida, constituído por um perfil de cliente que permite o desenvolvimento de projetos especiais. O tempo e dedicação que depositam em cada produto faz toda a diferença. O objetivo é deixar a “marca PLAN” em que cada um deles e manter os parceiros de trabalho que são uma mais-valia.

Crescimento assegurado

A aposta na formação é essencial na PLAN e o crescimento é um dos reflexos que após um período de crise não para de crescer. Se antes desta fase, 24 arquitetos componham a equipa, neste momento oito colaboradores asseguram um serviço de excelência, em conjunto com parceiros chave nas diversas áreas. Um ambiente familiar, uma equipa jovem e dinâmica que segue a linha definida pelo fundador, privilegia o espírito de entreajuda, até porque o melhor resultado é obtido em equipa.

“O que diferencia esta empresa é a proximidade com o cliente. Não fazemos arquitetura só para agradar o cliente e preocupamo-nos com valores como a estética, funcionalidade e inovação, mas de modo a que satisfaça o cliente e as suas perspetivas. Ele deve sentir-se parte integrante do projeto e contribuir com ideias. Não procuramos competir com outros gabinetes e a nossa experiência atribui-nos uma grande credibilidade”, asseguram os responsáveis da PLAN.

Projetos de sucesso

O Algarve tem registado um crescimento significativo na área da arquitetura, ligado ao turismo, por isso, começam a surgir novos projetos e novos clientes que apostam nas remodelações e criações. Ultimamente, a empresa tem sentido uma maior procura de um nicho de mercado: a recuperação. “Temos feito muitos trabalhos na área da restauração, em que remodelamos e construímos restaurantes de raiz e novos espaços e conceitos. Fazer parte da revitalização da cidade de Faro com projetos dinamizadores e estruturantes em zonas fulcrais, como a Rua Conselheiro Bivar e o centro histórico de Faro é algo que nos preenche”, acrescentam.

Entre os projetos de referência, destacam-se alguns que são verdadeiros motivos de orgulho. O Hotel Yellow, um empreendimento feito de raiz na região de Lagos e o projeto Dunas Douradas, com habitações de luxo que acompanham há vários anos e têm adaptado à arquitetura atual. Para o futuro, Matias Reis, Luís Caetano e a equipa da Plan conseguem prever um crescimento gradual, com projetos de continuidade e desafios. “O caminho perspetiva-se positivo, até porque são projetos com bastante relevo no Algarve, já aprovados. Um deles é o núcleo de desenvolvimento turístico em Olhão, Colina Verde Sports Academy, um hotel com capacidade para 500 atletas, totalmente diferente do que existe no nosso país. Será um centro desportivo para atletas, de alto rendimento, que funcionará durante o ano inteiro. A ideia é diversificar o tipo de desportos na região e este complexo irá receber muitas equipas internacionais de várias modalidades. Será um projeto pioneiro e um grande desafio para a PLAN”, concluem.

Partilhe:
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone