A DSH está no mercado há oito anos, mas conta com uma equipa experiente, com mais de 20 anos de trabalho na área das demolições. O método utilizado é inovador – as demolições são feitas através de um sistema hidráulico – que traz vantagens, em comparação com outros métodos tradicionais. Nuno Rendeiro esteve à conversa com a Portugal em Destaque, para explicar como se concretiza este trabalho e quais os desafios do setor.

Fundada em 2011, por Nuno Rendeiro, engenheiro, a DSH tem no nome a abreviatura do trabalho que desenvolve – Demolições por Sistema Hidráulico. Esta é uma técnica utilizada em estruturas onde se exige o mínimo de constrangimento durante a sua demolição. “As demolições com sistemas hidráulicos são feitas através do corte de betão com serras, discos ou fios diamantados e trazem vantagens em relação aos métodos tradicionais, sobretudo no que diz respeito ao menor constrangimento ao redor da obra”. No caso das demolições por sistema hidráulico, é evitado o barulho e a poeira causados pelo uso de martelos pneumáticos, manuais ou automáticos. “Além disso, este tipo de demolições funciona por zonas, sendo que são controladas de tal forma que as pessoas e o equipamento podem circular tranquilamente na zona circundante aos trabalhos”.

Serviço otimizado para instalações industriais, comércio e turismo

Este tipo de demolições é executado faseadamente. O edifício não precisa de ser totalmente demolido, podendo apenas ver requalificada uma parte da sua estrutura, devido à manutenção das mesmas, que se torna necessária ao final de alguns anos, ou por questões de adaptar edifícios mais antigos à realidade tecnológica atual: “fazemos demolições por sistema hidráulico em instalações industriais, quando a estrutura de betão já precisa de ser reabilitada na totalidade, ou mesmo quando só precisamos de uma reabilitação parcial”. O mesmo acontece quando se trata de lojas, em grandes superfícies comerciais. “O público tem de poder continuar a ter acesso ao espaço comercial. Por isso, este método de demolição é o mais seguro. Na área do Turismo, isso também acontece, nomeadamente no que respeita a clínicas, hotéis e empreendimentos turísticos, que sofreram de um enorme aumento de turistas e onde se tornou necessário, por isso, fazer as devidas adaptações”. Desde 2015 que o Turismo é um setor onde a DSH é, cada vez mais, solicitada para promover demolições seguras e sem constrangimentos para o público.

Com um efetivo de 10 colaboradores, a DSH tem a equipa necessária para dar resposta aos desafios colocados pelos clientes: “trabalhamos a nível nacional e já realizámos, também, trabalhos em Angola”.

Ágil e sustentável, a empresa não pretende crescer em dimensão: “queremos crescer em qualidade, no que respeita à capacidade de resposta dos nossos profissionais perante as necessidades dos clientes. Dois aspetos fundamentais para a execução do nosso trabalho são a proximidade que a nossa equipa coloca em cada projeto, que faz questão de acompanhar, e o respeito pelo cumprimento de prazos”.

Recentemente a DSH fez a aquisição de armazéns na Zona Industrial de Torres Novas, cujas obras de remodelação estão a ser finalizadas, com o objetivo de serem arrendados espaços para armazenamento. Dado a sua localização, na zona Centro, com acesso imediato à autoestrada A23, que faz a ligação ao interior do país e a Espanha, e autoestrada A1, que liga o Norte ao Sul de Portugal, torna-se assim uma oferta interessante enquanto base logística para vários setores de atividade.

Partilhe:
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone