Os rios Douro e Tâmega engrandecem a invejável beleza da região e é certamente por isso que muitas individualidades, nacionais e estrangeiras, adquiriram imóveis nas paisagens do Marco de Canaveses, em Cinfães e Baião. Hélder Moreira, experiente gestor imobiliário e CEO da ERA Marco de Canaveses/Baião, Sérgio Ferreira, profissional que transitou os conhecimentos que tinha da banca para melhor servir os clientes da imobiliária e Gabriel Moreira, gestor imobiliário de sucesso da região, compõem o trio que gere a ERA Marco de Canaveses/Baião.  Em entrevista à Portugal em Destaque, os interlocutores apresentaram a ERA Marco de Canaveses/Baião, a região e os objetivos para o novo ano de 2019.

O concelho do Marco de Canaveses tem vindo a mudar e de forma positiva. Quais são as suas caraterísticas primordiais?

O concelho do Marco de Canaveses tem mudado drasticamente devido à criação das infraestruturas de acesso dentro e fora do concelho. Há alguns anos, estávamos a uma hora e meia de distância do Porto, agora chegamos à Invicta ou a Guimarães em 30 minutos, passámos a ser um concelho com excelentes acessibilidades para o norte e centro do país, bem como para Espanha e com muita qualidade de vida para oferecer à população. As pessoas que residem nas grandes cidades, como o Porto, ainda não se aperceberam da potencialidade e da qualidade de vida que os concelhos limítrofes têm para oferecer, para além de habitação e custo de vida mais baixo.

Os marcoenses procuram caraterísticas específicas nos imóveis? Quais são as suas preferências?

Os nossos clientes são de classe média e são estes que fazem mover a balança económica deste setor de atividade. Procuram qualidade e sabem que não podem exigir demais, porque também procuram um bom preço de compra. O que seria necessário para estimular as transações, era o aumento do número de fogos, que estes fossem construídos com qualidade e com lugares de garagem ou garagem fechada e bons arrumos. Para além destas caraterísticas também procuram boas áreas, sendo que a cozinha é a assoalhada que determina a escolha final, uma vez que é onde a família, por norma, passa mais tempo. Roupeiros, varandas e bons acabamentos fecham o leque das preferências dos marcoenses.

Defina a carteira de Imóveis da ERA Marco de Canaveses/Baião.

A nossa carteira de imóveis acaba por ser escassa porque, apesar de conseguirmos concretizar muitas angariações, os imóveis são transacionados quase de imediato, tanto no Marco de Canaveses, como em Baião. Um apartamento novo, médio, no centro do Marco de Canaveses, ronda 700 e os 1.000 euros/m2. Traduzindo em valores, um apartamento T2 com 80 a 100m2 é transacionado entre os 80 e 100 mil euros, um T3 posiciona-se nos 110/130 mil euros, isto se forem apartamentos novos que, para já, ainda existem apenas em projeto. Os apartamentos T2 ou T3 usados são comercializados no intervalo de valores entre os 70 a 120 mil euros, mas, como referi, não existe muita oferta.

O mercado de compra é mais forte que o de arrendamento ou estão equiparados?

Nos últimos dez anos, o mercado imobiliário manteve a mesma linha dado que, por norma, são as pessoas que não podem comprar ou têm medo de o fazer que procuram este tipo de transação. Aí entra o papel do consultor imobiliário que tem de se disponibilizar a reunir e apresentar, a esses clientes, as vantagens da compra do imóvel versus o arrendamento porque é, sem dúvida, mais rentável comprar do que arrendar. Na maioria das vezes, a conclusão a que chegamos é que as pessoas têm capacidade financeira para concretizar a compra, mas têm medo de o fazer. Para agravar esta situação praticamente não há oferta de imóveis para arrendamento e depois da criação da lei do arrendamento a situação piorou. Os proprietários preferem vender ou ter os apartamentos vazios do que arrendar porque 28 por cento da renda é para o Estado, o que os deixa com pouca margem de lucro e de fundo de maneio para os proprietários.

O que distingue a ERA, ‘uma máquina a vender casas’?

A ERA tem uma metodologia vencedora e isso reflete-se no volume de vendas das agências. Trabalhamos com zonas exclusivas quer para as agências, como para os gestores imobiliários. A vantagem deste método é que podem focar-se no contacto porta a porta de forma a conhecer bem essa zona de trabalho, as pessoas que lá residem, quais as suas necessidades e expectativas. Por norma, as pessoas não querem comprar nem vender naquele momento, mas um dia vão precisar e nós já estamos bem posicionados porque as pessoas já nos conhecem.

Apresente as expectativas para 2019.

Vai ser um ano diferente e com novas ideias: aumentar a faturação e a equipa são objetivos que estão no topo das nossas prioridades para o ano de 2019, bem como entrar noutras vertentes de negócio como a construção do imóvel de sonho das pessoas. Celebrámos uma parceria com empresas que ajudam as pessoas que pretendem construir a sua casa ideal ou reconstruir um imóvel (por exemplo) que herdou, a realizar esse projeto tratando de toda a burocracia, sem que o proprietário tenha de estar constantemente preocupado com a evolução da obra e prazos legais. O mercado externo representa cerca de 30 por cento do mercado imobiliário desta região e, obviamente, também queremos apostar nesse nicho de mercado.

 

Partilhe:
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone