125 anos de existência é uma data histórica para qualquer empresa. Mas só é possível atingir este patamar com muito trabalho, dedicação e qualidade. E assim fez a Fábrica Santo António, uma referência no fabrico de bolachas, biscoitos, rebuçados e o típico bolo de mel na região da Madeira. Quem visita o Funchal não fica indiferente a estes sabores irresistíveis que aliam a tradição à inovação.

Estávamos no século XIX e as únicas bolachas existentes no Funchal eram as importadas, de influência inglesa. Face a esta necessidade de criar um negócio de fabrico próprio, introduzindo um produto novo e típico da região, Francisco Roque Gomes da Silva inaugurou a Fábrica Santo António. Fundada em 1893, a empresa foi evoluindo e passou de geração em geração, estando atualmente na quinta linhagem familiar. As receitas de confeitaria utilizadas pertenciam à esposa do fundador, D. Guilhermina e têm marcado o percurso da fábrica e os seus produtos até aos dias de hoje. A devoção a Santo António deu nome ao negócio familiar que é uma referência incontornável na região há 125 anos.

“No início houve muita influência inglesa, quer nas caixas e rótulos dos produtos, como as bolachas e biscoitos, bem como na maquinaria. Temos ainda algumas máquinas destinadas a museu que são inglesas e eram utilizadas na altura. Essa influência foi notada na variedade de produtos, desde o início que temos como referência a bolacha de gengibre, por exemplo”, destaca o administrador Bruno Vieira. Recuando ao passado, em que as pessoas vinham até à loja da Fábrica Santo António reabastecer a sua caixinha de bolachas, a empresa vai relançar já no mês de dezembro as latas de metal antigas, numa edição comemorativa dos 125 anos. O objetivo é apenas um: que as tradições não se percam e que as cores apelativas relembrem os sabores de outros tempos.

Paladares inesquecíveis

Seja pelos biscoitos, pelos rebuçados ou pelo típico bolo de mel, quem visita o Funchal e a Ilha da Madeira sabe que a Fábrica Santo António é uma paragem obrigatória. Os traços arquitetónicos do edifício, a história que se respira ao entrar na loja, de estilo vintage e o cheiro das delícias ali comercializadas não deixam ninguém indiferente. Ao todo, mais de 50 referências constituem a vasta gama de produtos. Se alguns existem desde o princípio, como é o caso da bolacha Maria, da bolacha de gengibre e até dos rebuçados de funcho, outros foram surgindo num percurso marcado pela inovação. A juntar à marmelada e aos biscoitos até então comercializados, nas últimas décadas, a Fábrica Santo António introduziu as compotas de fruta fresca da região e as broas especiais, de qualidade superior. As novas linhas de produto têm-se revelado essenciais para chegar ao maior número de pessoas, consoante as suas necessidades e as do mercado. Assim, a empresa tem lançado produtos sem glúten, aptos para celíacos e ainda tem introduzido artigos com chocolate que vão ao encontro das novas gerações. “Aliamos a tradição, com os produtos mais antigos e de referência à inovação, através dos lançamentos. Sempre houve uma aposta grande na qualidade que tem sido reforçada em tudo aquilo que introduzimos de novo. É esse caminho que queremos seguir porque só assim continuamos no mercado há tantos anos”, reforça Bruno Vieira.

Para os mais gulosos, existem ainda rebuçados de eucalipto, gengibre, tangerina e mel de cana e não só o tradicional funcho. Na confeção dos produtos são utlizados ingredientes da região, como as frutas frescas e mel de cana da Madeira para o fabrico do famoso bolo de mel. Além da qualidade, a Fábrica reconhece a necessidade de inovação constante de forma a agradar os clientes que procuram a tradição e os sabores típicos de antigamente como aqueles que optam por uma categoria mais gourmet.

Da Fábrica para as prateleiras

Mas afinal onde podemos encontrar estes produtos tão elogiados? “Aqui na Madeira, grande parte dos nossos produtos encontram-se nas grandes superfícies. Desde a produção até estar nas prateleiras passam poucos dias. Não optamos por ter grandes stocks para reabastecer, preferimos uma maior rotação e um nível de frescura elevado. Fazemos um acompanhamento direto às lojas e repomos o produto”, completa o responsável pela Fábrica Santo António. No entanto, não são só os habitantes locais que apreciam estas iguarias. Atentos às tradições e ao fluxo de visitantes, cedo perceberam que quem visita a Madeira acaba por passar na Fábrica para levar alguns artigos e apostaram na exportação. Assim, começaram a expedir mercadoria para Portugal Continental e a exportar para Londres e Estados Unidos da América, onde já existe rotação de produto e encomendas regulares, principalmente para a capital britânica. O mercado da saudade tem constituído um excelente indicador de produto e por isso estão a ser desenvolvidos novos mercados, como França.

Esta é uma Fábrica antiga mas as boas práticas de higiene e segurança não podem ser esquecidas. Desta forma, a administração optou por realizar alguns investimentos, modernizando as instalações sem afetar o fabrico artesanal tão característico. A maquinaria foi atualizada, os processos automatizados e a capacidade de resposta garantida. O próximo passo é dar início à expansão da loja e proceder a alguns melhoramentos para assegurar o bem servir.

Para celebrar a data histórica, no próximo ano, a Fábrica Santo António irá apostar numa nova imagem que relata alguns dados sobre a história da sua fundação. Um padrão vintage, com traços da antiga rotulagem, faz parte das muitas novidades que estão a caminho.

Partilhe:
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone