A paixão com que fala sobre os seus pacientes e as técnicas que proporcionam a cura e o bem estar às pessoas que o procuram, sejam atletas de alta competição, ou o cidadão comum, espelha a sua dedicação. Começou a sua formação superior em Fisioterapia na Escola Superior de Saúde do Porto. Fez a sua pós-graduação na Faculdade de Medicina do Porto em Reabilitação em Medicina do Exercício e Desporto, terminando a sua especialização em – Experto em ecografia Musculoesquelética na Universidade Francisco de Vitoria – Madrid. É membro do grupo espanhol de ecografia musculoesquelética para fisioterapeutas – MUP.

Formou-se em EPI®, Ecografia Avançada, Ecografia do sistema nervoso periférico, Ecografia e EPI® em cadáver, NMP-e, Dry needdling & Manual Trigger Point, Crochetage Myo-Aponévrotique, Mobility, Exercício Excêntrico, Terapia Manual (osteopatia/quiropraxia/spinal manual therapy), Termografia. Tem complementado a sua formação além fronteiras, tanto em Barcelona como em Madrid, com os maiores especialistas na área.

Começamos por explicar em que consistem as duas técnicas, designadas, por alguns pacientes, como sendo milagrosas, comprovada cientificamente. A EPI® e a NMP-e são duas técnicas, que funcionam como complementares no tratamento de diferentes diagnósticos.

Costinha, começa por explicar que “essa técnica Electrólise Percutânea Intratecidular ou mais conhecida por EPI®, consiste na aplicação de uma agulha, guiada por ecografia levando uma corrente elétrica especificamente concebida e controlada que produz uma reação eletroquimica unicamente na região degenerada do tecido a tratar.
O objetivo principal é produzir uma desionização molecular não térmica que induza uma resposta celular e fisiológica do processo de regeneração dos tecidos moles. A técnica EPI® permite ativar os mecanismos moleculares envolvidos na fagocitose e reparação/ regeneração do tecido afetado, obtendo-se assim os melhores resultados no tratamento de lesões do tendão, músculo, ligamento e fibroses. Os primeiros estudos publicados foram sobre tendinopatia do rotuliano, com o avançar do tempo passamos aplicar a técnica no músculo, ligamento, bursa, capsula e nervo. Com a técnica EPI® a principal patologia que tratamos são tendinites (tendinopatia/tendinose). Há muitos médicos que classificam como uma dor crónica que não há tratamento, mas nós com esta técnica conseguimos tratar. Tratamos tendinites diariamente, na articulação do ombro, cotovelo, mão, anca, joelho e pé”. E complete: “o nosso objetivo é regenerar o tecido afetado e normalizar a função dessa estrutura, tendo uma taxa elevada de sucesso e um índice de recidiva muito baixo”. Na Fisioterapia Avançada Costinha completamos as sessões de tratamento com laser, eletroestimulação, tecarterapia/diatermia, ondas de choque, SIS e terminando sempre com o essencial exercício clínico e excêntrico.

Para além da EPI®, Costinha complementa muitos tratamento com a Técnica Neuromodulação Percutânea Ecoguiada (NMP-e), que tem “vindo aplicar sensivelmente há dois anos e meio e recentemente fiz um curso de atualização desta técnica” e prossegue: “a Técnica Neuromodulação Percutânea Ecoguiada consiste numa estimulação elétrica de baixa ou média frequência, através de uma agulha ecoguiada, de um nervo periférico, em algum ponto do seu trajeto, ou de um ponto motor com um objetivo terapêutico. Aplicando-se quer no nervo, ligamento, tendão, cápsula, músculo, periósteo, pele e/ou estruturas vasculares. Por exemplo, uma dor ciática, nós localizamos o nervo ciático e fazemos uma estimulação do nervo para diminuir a dor e melhorar a função neuromuscular”. Outro exemplo simples “numa rotura muscular em atletas profissionais ou amadores, após a sua recuperação, sentem desconforto na zona da lesão e nós através de um estímulo no ponto motor ou no nervo que enerva esse musculo, com a NMP-e, conseguimos retirar a dor, restabelecer a função do sistema nervoso periférico e melhorar a função neuro muscular. Para aplicação das técnicas acima referidas e necessário formação avançada das técnicas (EPI® e NMP-e) e ecografia. Na fisioterapia usamos ecografia de alta gama para nossa própria avaliação, diagnóstico e acompanhamento da evolução da patologia”.

Com intuito de estar sempre informado sobre os últimos avanços nestas técnicas o fisioterapeuta Costinha tem realizado formações constantes com as referências mundiais.

Recentemente Costinha introduziu a “termografia, que consiste em tirar uma fotografia, e com a análise através de um software, conseguirmos detetar processos fisiopatológicos relacionados com os sintomas dos nossos pacientes e assim facilitar na escolha do tratamento adequado. Sem dúvida que esta ferramenta vai proporcionar informação importante para o diagnóstico, planificação, intervenção, reavaliação e tudo que esteja relacionado com a prevenção e a reintegração laboral ou desportiva”.

O seu lema é “dar qualidade nos tratamentos de fisioterapia. Eu tento ajudar ao máximo os pacientes, porque também sei o que é estar do outro lado”. Ao longo destes anos reconhece que o “maior desafio é tratar os pacientes que aparecem com dores persistentes de muitos anos e nós conseguimos tratar. Todo o nosso trabalho, esforço, dedicação e sucesso passa por trabalho de equipa da qual faz parte o Fisioterapeuta Romeu Pinheiro. Para futuro vamos dar seguimento ao trabalho efetuado sempre com atendimento personalizado, a máxima privacidade e descrição”.

Partilhe:
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone