PresidenteJosé Mendes, Presidente

 

“As minhas motivações vieram da juventude. Desde muito cedo que me liguei à política e às atividades sociais, tendo sido dirigente de associações culturais, recreativas e desportivas. Fiz parte de assembleias municipais e de freguesia e o que me motiva é o gosto de trabalhar para benefício da comunidade em que me insiro. Chego ao fim do dia e é gratificante pensar que fiz algo que melhorou a vida de alguém”. É assim que José Mendes resume e caracteriza a sua ação enquanto presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz das Flores. Numa ilha e num concelho que são pontos de interesse por si só, o autarca relembra a classificação que conquistaram em 2009, pela Unesco, como Reserva da Biosfera. “A nossa ilha é rica em belezas naturais que atraem qualquer pessoa. O verde predomina, tem vales profundos e muitas cascatas de água que identificam a natureza. O município tem feito uma aposta forte no turismo e especialmente no turismo dedicado à natureza e aventura. É uma ilha agradável, saudável e bonita e qualquer pessoa que a visita fica com saudades e com vontade de voltar”, adianta.
Localizada no grupo ocidental do Arquipélago dos Açores, Santa Cruz das Flores encontra-se preparada e com meios suficientes para receber os visitantes que chegam de várias partes do mundo. O turismo tem aumentado a olhos vistos e quem visita a ilha das Flores e a sua capital tem alojamento garantido. No entanto, nos meses de verão, os principais picos de procura, a taxa de ocupação em Santa Cruz chega aos 100 por cento. Já na restauração é necessário alguma evolução na qualidade, serviço e número de restaurantes e as melhorias têm sido evidentes. “Como Câmara Municipal vamos fazer de tudo para contribuir para a melhoria e continuar a promover mostras gastronómicas”, destaca José Mendes.

Animação garantida
O mês de junho é reconhecido pelas suas festas populares, com a tradicional sardinha, pão de milho e marchas populares. Santa Cruz das Flores não é exceção e também festeja o São João com tradição e boa disposição. Porém, a principal festividade do concelho ocorre no primeiro fim de semana de agosto, com o Cais das Poças. Um evento importante que tem atraído cada vez mais turistas e emigrantes que fazem questão de visitar as Flores, todos os anos, para marcar presença nestas festas. Constituído pelo cortejo, num momento dedicado às vivências e tradições da terra, também o mar e o que este oferece são promovidos. “Nessa altura fazemos um concurso de pesca, em que os pescadores desportivos vão para o mar e todo o peixe é oferecido à Comissão de Festas, que faz um caldo de peixe e oferece a toda a população. O ano passado, o nosso caldo tinha 1.200 kg de peixe, cerca de 22 qualidades de peixe e servimos cerca de 1.500 pessoas. O que é muito bom, porque é uma ótima promoção da ilha e um momento de confraternização”, refere o autarca.
Além do peixe, nestas alturas festivas, a organização aproveita ainda para promover as bandas locais, as filarmónicas e o folclore através de eventos e concertos. Uma vez que as Flores situam-se numa zona periférica, há que realizar a promoção daquilo que se faz de bom na região e levar a animação ao maior número de pessoas.

Apoio social para todos
Durante este mandato, José Mendes orgulha-se de vários projetos que se revelaram necessários e bem sucedidos. Entre as muitas obras e iniciativas de requalificação, a ação social detém uma importância extrema, principalmente numa terra pequena como esta. “Temos uma série de programas sociais, como por exemplo, um projeto que criamos de apoio à natalidade, em que por cada criança, no primeiro ano de vida, os pais recebem um apoio monetário da parte da Câmara. Foi a iniciativa que teve mais impacto e se traduziu bastante positiva, até porque temos muitos casais jovens que precisavam de apoio. Tenho uma relação próxima com a população que reconhece esta iniciativa porque ajuda bastante”, assegura.
Mas os apoios não ficam por aqui e acompanham a evolução das necessidades infantis. Quando as crianças se tornam mais crescidas, os pais podem recorrer aos dois ATL´S gratuitos existentes e deixar os seus filhos com professores, em que todos os gastos são assumidos pela autarquia. “Temos um apoio de transporte escolar gratuito para os alunos que moram a mais de 3km da escola e asseguramos também um autocarro para aqueles que moram mais perto. Para os mais jovens e de acordo com os rendimentos do agregado familiar, apoiamos os alunos através de bolsas de estudo de frequência do ensino superior. A pensar nos mais idosos, criamos um regulamento de apoio na comparticipação dos medicamentos e temos atividades semanais, como aulas de ginástica, música e informática. Promovemos essas atividades durante a semana para os ocupar e distrair”, garante o presidente.
As iniciativas culturais também não são esquecidas e o Museu e Auditório Municipal são palco de sessões de cinema gratuitas. Com capacidade para 150 pessoas, todos os interessados necessitam apenas de reservar o seu lugar e desfrutar destes momentos de lazer que ocorrem mensalmente.

Oportunidades e emprego
E se as infraestruturas, os transportes, a educação e a saúde são exemplos que funcionam e evoluem naturalmente, já a questão do emprego é mais complexa. “É essencial criar condições para que os nossos jovens regressem e fiquem por cá a trabalhar. Temos empresas de pequena dimensão que não estão preparadas nem têm capacidade para colocar pessoas qualificadas, não há volume de negócio suficiente que justifique contratações. Por isso, avançamos agora com um projeto que é uma incubadora de empresas e serão criadas condições para que os jovens qualificados e empreendedores possam estar envolvidos. Estará ao seu dispor tudo o que é necessário para o funcionamento de uma empresa. É um incentivo para a atração dos jovens. Queremos criar emprego e fixar pessoas”, reforça.
Questionado sobre o futuro, o presidente da Câmara Municipal de Santa Cruz das Flores não hesita em responder que o turismo poderá ser uma “janela de oportunidades”. Numa altura em que o envelhecimento da população é uma preocupação, o turismo poderá ser uma aposta ganha e com margem de progressão para a criação de postos de trabalho e fixação de pessoas. “Temos que agarrar oportunidades e a nossa intenção é continuar o trabalho iniciado há quatro anos, especialmente na área da ação social, pois o foco são as pessoas e o seu bem estar. Todos são bem vindos às Flores”, conclui.

Partilhe:
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone