Marcel Silveira
Marcel Silveira

À conversa com Marcel Silveira ficámos a conhecer as maravilhas do Hotel Turismo São Lázaro e o potencial turístico que Bragança apresenta. Um hotel de encantos para uma cidade de encantos.

Inaugurado em 2002, pela mão de Armindo Correia e Maria Alcina Ramos, o Hotel Turismo São Lázaro é hoje uma incontornável referência nacional do setor. Com um total de 272 quartos divididos por diversas tipologias, esta corresponde à unidade hoteleira com maior capacidade de lotação não apenas na região de Trás-os-Montes, mas também na zona norte do país. Mais, todavia, do que um espaço reservado para o desfrutar de umas relaxantes e memoráveis férias, a casa afirma-se como uma verdadeira promotora do concelho de Bragança, não se poupando a esforços para a divulgação de uma cultura, gastronomia e beleza sem igual.

Numa altura, porém, em que a cidade brigantina é cada vez mais procurada não apenas para fins turísticos, mas também pelo surgimento de iniciativas científicas e académicas que entidades como o Instituto Politécnico de Bragança (IPB) têm organizado nos últimos anos, a unidade hoteleira sempre dispôs de salas vocacionadas para a realização de reuniões, ações de formação ou congressos, com capacidades a oscilar entre as 60 e as 600 pessoas.

Hoje, volvidos 14 anos desde a abertura do Hotel São Lázaro, a direção técnica está a cargo de Marcel Silveira, que cedo se apercebeu da necessidade de fazer evoluir a imagem e a identidade deste projeto turístico. “Ao longo destes anos, o hotel nunca passou por uma grande fase de remodelação, mas apenas por pequenas obras de manutenção”, contextualiza o administrador, antes de acrescentar que este projeto de intervenção – que está a decorrer há três meses – conta já com o apoio do projeto Compete 2020.

Um novo hotel

Em causa está uma série de trabalhos que culminará numa “reformulação total dos quartos” e, inclusivamente, “num hotel completamente renovado”, em que se constatarão evoluções não apenas na estrutura do edifício, mas também em questões de segurança, isolamento ou decoração. Sendo este um setor particularmente exigente, no qual a novidade se afirma ao virar de cada dia, a necessidade de se proporcionar uma resposta capaz de atrair novos públicos e atender a cada desafio assume-se como uma obrigação a que o Hotel São Lázaro faz questão de atender.

Paralelamente a estas melhorias, as obras de reformulação traduzir-se-ão também no desenvolvimento de novas valências para os hóspedes. Assim sendo, para além da atual sala de ginástica e dos espaços para a prática de futsal, ténis e pingue-pongue, o renovado Hotel São Lázaro incluirá um spa, piscina exterior, ginásio e golfe, multiplicando-se desta forma uma já impressionante oferta turística.

Todos estes correspondem a esforços que têm o objetivo de marcar a diferença. Mas, em consonância com todas estas evoluções, existe outro aspeto que Marcel Silveira faz questão de não negligenciar: a formação. O atualizar constante de conhecimentos e novos mercados assume-se, de facto, como outra das linhas-mestras do atual modelo de gestão, não sendo por acaso que o diretor-geral – que acumula um know-how de 20 anos ligados ao setor – faça questão de se colocar a si e aos 29 funcionários do Hotel São Lázaro em contínuos programas de formação profissional.

Bragança: uma cidade turística

A região tem sido muito procurada, pois os acessos melhoraram”, começa por esclarecer Marcel Silveira quando questionado sobre o estado turístico em que Bragança atualmente se encontra. A título de exemplo, constatam-se progressos como a inauguração do túnel do Marão ou o regresso das ligações aéreas, fenómeno que tem vindo a atrair, inclusivamente, visitantes de nacionalidade inglesa que, tradicionalmente, não se aventuravam pela região.

Neste âmbito, o diretor-geral constata também que, recentemente, o público espanhol – economicamente mais próspero – “começou a invadir a cidade”. Estes são sinais inegavelmente positivos que, em conjunto com a dinamização proporcionada por instituições como o já mencionado IPB, ajudam a dinamizar o valioso potencial turístico da cidade transmontana. A título de exemplo, o administrador refere o caso de pessoas que “visitam a cidade por causa desses eventos e gostam” do que vêem.

O turismo em Bragança é diferente daquilo a que a maior parte das pessoas está habituada”, considera Marcel Silveira. “Normalmente, quando os turistas viajam costumam pensar em praia, mas o contacto com a natureza e a gastronomia tradicional são uma oferta completamente diferente”, prossegue o nosso interlocutor. De facto, Bragança é cada vez mais vista como um destino para todos os que procuram “qualidade de vida” e uma experiência tranquila, por oposição a outras tendências mais massificadas do turismo.

Gastronomia

Encontrando-se o Hotel São Lázaro perfeitamente sincronizado com a identidade cultural de Bragança, não será de admirar que o restaurante do empreendimento turístico faça questão de proporcionar aos seus turistas o melhor da cozinha tradicional transmontada. Posto isto, entre outros pontos obrigatórios da ementa, encontraremos sempre os incomparáveis sabores do fumeiro, do porco bísaro, do javali ou da vitela.

A par, no entanto, de iguarias tradicionais como a castanha ou os cogumelos, o Hotel São Lázaro faz questão de apresentar as outras grandes referências da comida portuguesa, nomeadamente os pratos de bacalhau. Já a pensar num público internacional, o restaurante faz questão de apostar também numa certa inovação gastronómica, onde a comida típica da região é misturada com outros conceitos. Tal é o caso do hambúrguer de borrego e de outras ofertas que terão de ser experienciadas para crer.

Ano novo, projetos novos

Neste momento estamos a investir na internacionalização da empresa”, afirma Marcel Silveira, com a finalidade de atrair novos públicos – nomeadamente da Alemanha, Espanha, Holanda ou Reino Unido – à cidade brigantina. Já numa segunda fase, o diretor-geral aponta o desenvolvimento de novas infraestruturas em redor da unidade hoteleira, a fim de proporcionar “uma resposta cada vez melhor a públicos mais exigentes”. Tudo isto, na tentativa de “colocar a taxa de ocupação o mais perto possível dos 100 por cento” e de elevar o Hotel São Lázaro a uma classificação de quatro estrelas.

Por fim, e a pensar no Réveillon, Marcel Silveira deixa um convite a todos os leitores, a pensar nas três noites associadas a esta data: “Haverá animações musicais – este ano o tema será o fado –, um jantar vinícola para as pessoas apreciarem a comida e os melhores vinhos da região, bar aberto e muita animação”, promete o nosso interlocutor, que se despede com um apelo simples e direto: “venham e usufruam de Bragança”.

Partilhe:
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone