O Redondo é uma terra cheia de surpresas. Das potencialidades da região destacam-se os vinhos, as olarias tradicionais e a forma de receber dos locais que são reconhecidas por toda a parte pela sua amabilidade.

Entrar nesta freguesia é ter a garantia de momentos bonitos passados, numa terra cheia de história, com pessoas afáveis e belezas inconfundíveis escondidas nos recantos por descobrir na Serra D’Ossa. A Portugal em Destaque foi falar com o novo presidente da Junta de Freguesia do Redondo, José Carlos Cidade, e descobriu mais do que o suficiente para convencê-lo a visitar esta terra de gente inspiradora e paisagens de cortar a respiração!

“Quando há alguem com um problema na Freguesia, eu também tenho um problema. Enquanto houver um freguês com problemas, eu tenho problemas.”

O papel de uma junta de freguesia é dinamizar e apoiar a vida dos seus fregueses, como carinhosamente gosta de tratar os seus cidadãos. Foi apanhado de surpresa pela nomeação. No entanto, aceitou-a com entusiasmo por ver aqui a oportunidade de melhorar a vida de todos naquela que é a sua freguesia. Isso significava então, dinamizar a vida da população, criando mais e melhores oportunidades para seus fregueses.

Um dos grandes focos do presidente foi dinamizar o turismo, dando assim alguma atenção e foco a projetos na Serra da Ossa, região que acredita deveria ser muito mais valorizada do que tem sido até agora – e a população tem essa expectativa neste momento – de que haja desenvolvimento e investimento na região da Serra, que tem estado ao abandono.

Há coisas a mudar na freguesia para conseguir atrair mais jovens. “Em termos de terrenos para habitação, tem de se facilitar, por exemplo, construção de berçários que é uma lacuna da nossa terra, temos que dar garantias aos pais para terem cá os filhos”, explica o presidente.

“Sou muito humano, gosto muito de apoiar as pessoas – as pessoas estão em primeiro lugar”.

São poucos meses nesta posição de presidente, mas neste tempo tem sido muito contactado relativamente às promessas feitas à freguesia. Já há alguns projetos em marcha: “reabrimos agora o acesso à Casinha do Monge na Serra D’ Ossa. O turismo da natureza e rural, é muito procurado e temos a obrigação de aproveitar a nossa Serra”.

A parte de exploração agrícola da região estancou, à exceção da vinha tem-se registado algum crescimento, e isso tem dado imenso destaque à região, até no estrangeiro com o reconhecimento da qualidade do vinho que aqui se produz. Também temos algum aumento na quantidade e qualidade dos nossos azeites.

“Há estrangeiros a investir, conseguem ver que há aqui uma pedra por lapidar. Eles reconhecem o valor que a nossa terra tem e que nós temos ignorado. Temos um cinema,  praça de touros-coliseu, piscinas, pavilhões, museus,  a nível urbano está tudo renovado. Só falta a nivel de indústria desenvolver-se mais e criar mais oferta de emprego para cativar pessoas a ficarem na região”, conclui.

Fica o apelo do presidente aos nossos leitores a que visitem o Redondo – não esquecendo que o que define esta freguesia são, principalmente, as pessoas e a sua gastronomia – aceita o convite?

Partilhe:
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone