Localizada em Arada (Ovar), a JVPerfis foi constituída em fevereiro de 2013 e nasceu da experiência de Jorge Vilarinho no mercado da chapa e de produtos derivados. Com dedicação e muito trabalho, a empresa tem crescido de forma ativa e sustentada.

 

A qualidade do produto, a mão de obra qualificada e os produtos qualificados fazem parte da grandeza desta empresa. Com vista os mercados de armazenistas e grandes empreiteiros, a aposta é na formação e na qualidade.

Com oito funcionários experientes no fabrico destes produtos, Jorge Vilarinho, dono da empresa, considera que ainda “é um problema encontrar mão de obra qualificada”. No entanto, são feitas “várias formações dentro da empresa, tanto e-learning como presenciais”, refere Fábio Maia, administrativo.

A empresa que aposta na “constante inovação e na qualidade” vende material já acabado em que todo o produto é de “chapa perfilada” – conceito que se enquadra em estruturas, remodelação e construção de habitações.

Quanto ao mercado em que se insere, Jorge Vilarinho conta que trabalham “diretamente a nível nacional” e que por intermédio dos fornecedores já estão internacionalizados em países como “no Senegal, na Argélia, em Moçambique e em Angola”.

Com elevados padrões de qualidade na resposta às necessidades dos clientes, é assim que a concorrência é contornada. “Contornamos a nossa concorrência sempre com a qualidade, que é a capacidade de resposta. Ou seja, a nossa clientela trabalha com Micro Zinco Z 140 Profiles e nós trabalhamos com Z 200, aguenta mais tempo e damos uma maior garantia ao nosso cliente”, explica Jorge Vilarinho.

A qualidade revê-se, também, na capacidade de resposta no caso de existir algum problema: “Nós conseguimos fazer o rastreio desde a produção, é por isso que a empresa é certificada. Cada elemento aqui tem uma função e conseguimos fazer o rastreio nem que seja daqui a 20 ou 30 anos. Todo o perfil é marcado, todas as peças têm uma ordem de fabrico e através dessa ordem conseguimos saber a que horas foi fabricada, quem foi o fornecedor, a capacidade de zinco, a hora que saiu e para onde foi.

Tem a informação toda guardada e detalhada. Cada um tem a sua função cá dentro, não podem falhar”, declara o dono da empresa.

Para o futuro as expectativas são duas. Este ano, o objetivo é o de adquirir o estatuto de PME Líder. Mais à frente, daqui a cinco a seis anos, o projeto, como revela Jorge Vilarinho, é “chegar aos 5 milhões de euros. Começamos em 2013 com 521 mil (isto valores sem iva), em 2014 passamos a 1 milhão e 200 e, este ano, já vamos em 727 mil. Temos parceria com a Universidade do Porto para começar com novos artigos, temos de estar em todo o lado”, finaliza.

 

Partilhe:
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone