A Portugal em Destaque esteve nas Festas do Senhor de Matosinhos com Saúl Sousa. O proprietário d´O Cabeças, assumido apaixonado pela rua e pelo conceito de roulotte, promete alongar o período das festas do norte com a abertura de uma nova casa de “O Cabeças”, na Avenida da Conduta, em Rio Tinto.

Na rua está a paixão!

Na correria das Festas do Senhor de Matosinhos, de casa cheia e atarefado com o atendimento, Saúl Sousa revela-nos em entrevista, que nos primeiros anos de atividade “o espaço que aqui ocupava era um terço do que agora temos”.

Natural de Baguim do Monte, em Gondomar, Saúl Sousa é o rosto por trás do nome O Cabeças. Alcunha que lhe era atribuída enquanto criança, por ser um individuo criativo por excelência. Hoje em dia, esse mesmo nome – O Cabeças – é a referência do leitão na zona norte.

Começou por ser um projeto direcionado para as festas e feiras da zona norte, sendo que de maio a outubro é possível encontrar roulottes de O Cabeças na festa do Senhor de Matosinhos, na rotunda da Boavista, no S. João do Porto, na festa da Nossa Senhora da Saúde, nos Carvalhos, em Vila Nova de Gaia ou nas festas do concelho do Gondomar.

Neste sentido, também os peregrinos são passíveis de reconhecer a casa dos leitões nortenha. O Cabeças é responsável pela oferta de sandes e bebidas aos peregrinos de Fátima que param em Coimbra para descansar. Todos os anos, no dia 9 de maio, a todo o peregrino que realiza a trajectória do norte de Portugal em direção ao santuário de Fátima, é oferecida uma sandes de porco no espeto, presunto, queijo ou porco no espeto.

Apesar de na rua estar “a paixão” do proprietário, Saúl Sousa reconheceu a necessidade de alongar o período de oferta das iguarias que prepara e, por isso, abre o primeiro restaurante de O Cabeças, na Avenida Serpa Pinto, em Matosinhos, onde vende uma média de 500 leitões por mês.

Trata-se de uma casa reconhecida, no Grande Porto, pelo saboroso leitão assado e pelo deleitável porco no espeto. Produtos vendidos nas múltiplas feiras populares da região norte, ao longo de várias décadas, e que hoje podem ser adquiridos num restaurante, capaz de receber 80 pessoas sentadas.

O segredo está no assar do leitão

O crescimento d´O Cabeças deu-se quando veio a crise. “A quem vem a uma feira, fica mais barato comer leitão que comer sardinhas”, afirma Saúl Sousa.

O empresário que começou a assar leitões com 13 anos de idade, já tinha uma experiência de 26 anos na arte de assar leitões quando se aventurou por conta própria. Numa casa onde a especialidade é o leitão, “o segredo está na arte de assar”, garante o proprietário.

Acrescentar rapidez e efectividade à qualidade do produto é motivação escondida por trás da inauguração de um novo espaço.

Onde acaba Rio Tinto e começa Fânzeres, distrito do Porto: uma solução rápida, prática e saborosa!

“A minha aposta está em manter este conceito o ano todo”, começa por revelar Saúl Sousa. O proprietário do restaurante e das roulottes admite que prolongar o período das festas populares é o mote para a inauguração de uma nova casa de leitões no distrito do Porto.

Com o passar do tempo, explica o proprietário, “tornou-se imperativo criar um espaço onde os clientes pudessem apreciar as nossas especialidades, em qualquer altura do ano”.

Na Avenida da Conduta, em Rio Tinto, no distrito do Porto, terá lugar uma nova casa de leitões O Cabeças. Um lugar que, explica o empresário, irá primar pelo “estilo feira”, um conceito que significa atendimento rápido, pré-pagamento, sandes de leitão- assado, porco no espeto e caldo verde, produtos de qualidade, servidos de forma simplificada e atempada.

 

Partilhe:
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone