Apresentamos-lhe a Pingos Service, uma empresa que se dedica à realização de serviços na área das telecomunicações. Sediada no concelho de Valongo, foi lá que estivemos à conversa com João Lindo, CEO da Pingos Service que, em entrevista, abordou a génese do negócio e o mercado em que se insere.

No mercado desde 2013, a Pingos Service surgiu com um objetivo bem definido: preencher as lacunas existentes no mercado das telecomunicações. A empresa que surgiu pelas mãos dos pais de João e é, atualmente, gerida por João Lindo, filho do casal, que em entrevista começou por revelar a génese do negócio. “A empresa surgiu pelos meus pais, que continuam a ser a base. Eles já tinham uma empresa de outro ramo e, depois de começarem a verificar o crescimento do mercado das comunicações, decidiram investir nessa área”. Com um crescimento sustentado, alicerçado em decisões estratégicas, a Pingos Service nem sempre encontrou um caminho fácil de percorrer e João Lindo recorda o período menos fácil que a empresa atravessou. “De 2013 a 2017 tivemos uma parceria, muito forte, com uma outra empresa. No entanto, em 2017, houve uma separação e tivemos que repensar o negócio. Nessa altura, não tínhamos imagem nem clientes”, começa por revelar João Lindo, que assume que este “foi um ano difícil”, mas, ao mesmo tempo, de crescimento: “tivemos de nos lançar ao mercado e procurar clientes. Foi aí que descolamos”.

De Valongo para a Europa
A empresa valonguense dedica-se, desde a sua génese, à realização de serviços na área das redes de telecomunicações. Do leque de serviços disponíveis destacam-se os de FTTH (Fiber To The Home), FTTN (Fiber To The Node) e RNG (Redes Novas Gerações). “A Pingos Service trabalha na área das telecomunicações, que se divide em duas categorias: rede móvel e rede fixa”, começa por explicar João Lindo o core business da empresa. “No que diz respeito à rede fixa, fazemos a instalação da rede de fibra, desde a central, até à porta do cliente. Na rede móvel fazemos, por exemplo, a troca de tecnologia 3G para 4G, ou ainda de 4G para 5G, futuramente”, explica o interlocutor. Para além do mercado nacional, que representa uma pequena percentagem do volume de trabalho, a equipa da Pingos Service dedica-se também a projetos além-fronteiras, tendo já implementado redes de telecomunicações em Inglaterra, França, Alemanha e Suíça. Um serviço assegurado, em permanência, por mão de obra qualificada, experiente e 100 por cento portuguesa.
Para que os níveis de excelência sejam atendidos, a Pingos Service conta com uma equipa pluridisciplinar e de excelência, que assegura a prestação de um serviço incólume a todos os clientes. Para o interlocutor, a base do sucesso alcançado deve-se, em parte, ao profissionalismo da equipa que o acompanha”. Os nossos funcionários são pessoas em quem confiamos e profissionais qualificados. São a razão da empresa e, em 2019 pretendemos realizar fortes melhorias nas condições proporcionadas as nossas equipas”, conta o entrevistado, que admite apostar na constante formação dos seus colaboradores: “infelizmente, não há nenhum curso específico para esta área. Este é um trabalho que envolve muita tecnologia e uma constante adaptação. É necessária uma formação contínua dos técnicos”.

Alcançar novos mercados
Presentemente, a trabalhar, sobretudo, com “subempreiteiros das operadoras”, a Pingos Service tem conseguido alcançar uma posição de destaque no panorama nacional. Para o futuro, espera-se crescimento, sobretudo, em novos mercados. “Queremos crescer nos países nórdicos. Em 2019, pretendemos começar a preparar contactos e bases, para em 2020 iniciarmos essa expansão”. Empreendedorismo é palavra de ordem na Pingos Service, que espera, no futuro, apostar em novos espaços na Europa. “Pretendemos abrir filiais em França e Alemanha. Para além disso, pretendemos também aumentar a equipa, sempre tendo em conta a qualidade do serviço”.

Partilhe:
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone