Nuno Castro - diretor-geral
Nuno Castro – Diretor-Geral

O Parque de Ciência e Tecnologia – Regia Douro Park – está focado nas áreas agroalimentar, agroindustrial, enologia, vitivinicultura, economia verde, valorização ambiental e tecnologias agroambientais. Promovido pelo Município de Vila Real e pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD),tem como desiderato fomentar o desenvolvimento económico das empresas e a associação entre o conhecimento e o tecido empresarial.

 

Criado há cerca de um ano, o Parque de Ciência e Tecnologia, Regia Douro Park, direciona-se para os setores vitivinícola, agro-alimentar e de valorização ambiental. Promovido pelo Município de Vila Real e pela Universidade de Trás-os-Montes, o Regia Douro Park quer constituir-se como um pilar de desenvolvimento económico integrado com forte aposta na academia e na região. Focada nas áreas agroalimentar, agroindustrial, enologia, vitivinicultura, economia verde, valorização ambiental e tecnologias agroambientais, a infraestrutura tem várias valências de suporte dirigidas a empreendedores, empresas e investigadores nacionais e internacionais.

De acordo com Nuno Augusto, diretor-geral do Regia Douro Park, o projeto assenta em elevadas competências científicas instaladas, numa incubadora e aceleradora de empresas, num polo tecnológico de excelência e num business center que estruturam toda a arquitetura do projeto e “conferem coerência à sua oferta integrada e vanguardista, bem ancorada num conjunto de espaços, competências e práticas de natural cooperação, através das quais se simplifica e facilita o trabalho das empresas e dos empresários”.

A Incubadora e Aceleradora de Empresas é um polo de apoio a empreendedores com ideias de negócio e empresas em início de atividade, oferecendo aos empresários condições para o desenvolvimento das suas atividades em ambiente de co-working, com fertilização cruzada de talentos e competências. Como serviços disponíveis destacam-se o apoio ao empreendedorismo, incubação e mentoring, programas de aceleração empresarial, assessoria em processos spin-off e coaching em internacionalização. Por sua vez, o Douro Business Center é um centro de negócios configurado como porta de entrada dos negócios na Região do Douro. Reúne num só local um portfólio de infraestruturas essenciais para empresas consolidadas, proporcionando acesso a gabinetes de prestígio, salas de formação, salas de reunião multimédia, espaços para eventos, espaços multiusos, num ambiente flexível e dinâmico de promoção empresarial.

Já o Centro da Vinha e do Vinho é um complexo laboratorial de excelência tecnológica dinamizado pela UTAD e instituições parceiras, direcionado para a investigação, desenvolvimento e apoio às empresas nos setores da vitivinicultura, agroalimentar e ambiente, com âmbito de atuação nacional e internacional. “Esta estrutura desenvolve a sua atividade focada nas empresas do setor da vinha e do vinho, ao nível da investigação aplicada, prestação de serviços e formação especializada”, salienta o diretor-geral.

No que diz respeito ao Parque Empresarial e Industrial, trata-se de um espaço composto por 26 lotes, perfazendo um total de 10 hectares, dotado de infraestruturas, arruamentos, estacionamento, vedação, segurança, fibra ótica e videovigilância.

 

Um pilar de desenvolvimento

Com uma localização estratégica, o Regia Douro Park assume como principal objetivo a promoção do emprego, em especial qualificado, “mas também trabalho em prol do desenvolvimento das empresas, para as dotar de ferramentas que não tinham até então. Queremos criar uma rede empresarial regional mais forte, para que a região possa competir de forma equilibrada com outros territórios”, revela Nuno Augusto, sublinhando que para que esses desideratos sejam alcançados “promovemos o parque dentro e fora de portas, definindo um conjunto de seminários, conferências e formações que possam trazer massa crítica e transferir conhecimento às empresas”.

Nas palavras do nosso entrevistado, o Regia Douro Park constitui uma nova centralidade empresarial no Douro e permitiu que as empresas tivessem uma nova dinâmica. Outra das metas assumidas é a promoção do empreendedorismo, daí a colaboração bastante estreita com a criação de programas para escolas do concelho, nomeadamente com ações de formação e concursos de ideias, programas estes que se estendem à universidade e aos próprios empreendedores.

 

Com os olhos postos no futuro

Nuno Augusto traça um balanço positivo do percurso percorrido e afirma que, em termos de futuro, a estratégia passa pela consolidação de investimentos, dando conta do projeto de construção de uma nova zona industrial acoplada às instalações do Regia Douro Park, “que contempla mais 50 hectares de área disponível e cerca de 200 lotes industriais indiferenciados vocacionados para todas as áreas de atividade”. O diretor-geral lembrou ainda que estão previstos para Vila Real um conjunto de investimentos, designadamente estruturas hoteleiras, dois hospitais privados e a contratualização de um call center que vai empregar cerca de 300 pessoas. “Criar emprego e empresas é o nosso propósito, o trabalho tem sido positivo e temos obtido o reconhecimento da zona envolvente”, conclui.

 

 

 

 

Partilhe:
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone