Em entrevista à Revista Portugal em Destaque, Rita Cepa, administradora e formadora do grupo Remax City, apresenta-nos aquela que é umas das principais imobiliárias da zona da grande Lisboa e de Caldas da Rainha.

“Este projeto existe há seis anos e foi o meu pai, Mário Cepa, quem o iniciou. Começamos com uma primeira imobiliária em Óbidos e depois, um pouco à descoberta, decidimos abrir uma outra agência em Odivelas, a Remax City I, sendo que são dois mercados totalmente diferentes. Nessa altura, a loja de Odivelas cresceu bastante, mais que a de Óbidos, em que fomos durante dois anos consecutivos, considerada a imobiliária que mais evoluiu nessa zona. Mas, há cerca de um ano decidimos que Caldas da Rainha seria muito mais central e resolvemos investir neste mercado. Hoje, o grupo é constituído pela Remax City I, em Odivelas, pela Remax City II, em Caldas da Rainha e por uma equipa de 25 elementos”, começa por nos explicar.

A atuar em mercados com características próprias e distintas, Rita Cepa acredita que a oferta disponibilizada por estes dois espaços é uma mais-valia no que respeita às necessidades dos seus clientes.

“Consideramos que estes dois mercados fazem sentido, mesmo sendo áreas bastante diferentes. Assim, conseguimos trabalhar na capital do país, uma área mais cosmopolita e com mais movimento, em contraste com a cidade das Caldas da Rainha, mais calma e com uma qualidade de vida diferente. Com esta dualidade, conseguimos uma boa parceria porque muitas vezes os clientes procuram uma coisa e que em Lisboa, por exemplo, não é possível, mas conseguimos encontrar aqui. Sentimos que o mercado das Caldas da Rainha e sobretudo o mercado da grande Lisboa, estão em forte crescimento, pois a banca voltou a permitir os financiamentos que as pessoas precisam e que são inevitáveis. No entanto, existem muitos investidores estrangeiros que continuam a querer vir para Portugal e a apostar no país como sendo um local de excelência. A par de Lisboa, Caldas da Rainha é uma zona muito procurada por estrangeiros, que ao contrário dos portugueses, não consideram uma hora de viagem um entrave para adquirir um imóvel”.

No entanto, pertencer e associar-se ao grupo imobiliário líder de mercado em Portugal, a  Remax, é igualmente, na sua perspetiva, um dos principais fatores que permitiram atingir o sucesso alcançado ao longo de seis anos de atividade.

“Fazer parte da Remax faz toda a diferença em relação a qualquer outra imobiliária. O acesso à formação que temos, ao sistema de partilha de negócios, que é fundamental, o impacto da nossa própria imagem junto do público, através de uma imagem muito consolidada em termos de marketing, os vários prémios que a marca recebe e que conseguimos alcançar a nível nacional, mostram-nos claramente que estamos no sítio certo. Uma das grandes vantagens do grupo Remax é saber adaptar-se a todas as revoluções que este setor vai sofrendo e acredito que o ramo imobiliário é cíclico e que está em constante mudança”.

Neste sentido e com o objetivo de crescer, o grupo Remax City, encontra-se neste momento a recrutar pessoas vencedoras, ativas e com vontade de evoluir no setor.

“Como o mercado atualmente se encontra, precisamos de pessoas que queiram ganhar dinheiro, pois o nosso sistema de formação ajuda a que rapidamente consigam perceber como realmente funciona, o que também nos ajuda a crescer. Queremos pessoas que gostem de pessoas, que gostem de ganhar dinheiro, de comunicar, pois somos muito mais que agentes imobiliários e o nosso trabalho vai muito para além de vender casas. Neste sentido, também fazemos questão de apoiar de alguma forma campanhas de solidariedade tendo um grande foco na responsabilidade social e acreditamos que é assim que vamos crescer e ajudar a crescer quem está à nossa volta. Foram seis anos de trabalho intenso e árduo e a comunicação com as pessoas, é o que nos move. Aqui, não existe barreira de idade, mas notamos que há cada vez mais jovens a apostar nesta área. O mais importante é força de vontade e ter um objetivo, independentemente do caminho a percorrer. Neste negócio cada um vai onde quer e procuramos pessoas vencedoras, com vontade de chegar o mais longe possível”, conclui Rita Cepa.

Partilhe:
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone