Salvador Fernandes e Filhos é o nome de uma empresa que atua no setor da construção civil, no concelho de Ponte de Lima. Os mais de 20 anos de experiência do patriarca da família, valeram-lhe o sucesso que hoje alcança e a confiança de inúmeras pessoas, nacionais e estrangeiras, na hora de construir ou reabilitar os seus imóveis.

Em conversa com Salvador Fernandes, cedo nos apercebemos do know-how que emanava das suas palavras: “Eu sou um dos mais velhos de dez irmãos e comecei a trabalhar muito cedo. Depois das aulas ia trabalhar na construção civil com o meu pai e na altura fazia o que conseguia, mas já tinha vontade de aprender e de saber fazer sozinho. Em 1988 fui trabalhar numa empresa do setor, em Viana do Castelo. Lá os ordenados eram mais altos e, ao fim de poucos meses, o meu patrão ofereceu-me sociedade”, começou por nos contar.

Mais tarde, o nosso entrevistado estabeleceu uma sociedade com o seu pai e irmãos. Sociedade essa que durou até 2013, ano em que o empresário decidiu iniciar uma empresa sozinho, com o objetivo de a deixar como património aos seus filhos: “Comecei do zero, mas tinha a experiência de mais de 20 anos de gestão nesta área e a confiança de muitos clientes que rapidamente procuraram os meus serviços”, completou.

A empresa, que se dedica à construção, reconstrução e reabilitação de imóveis, conta no seu currículo com diversas obras emblemáticas da região. De entre todas elas há uma que se destaca: o Paço do Vitorino. “A reconstrução do Paço do Vitorino foi uma das obras que mais orgulho me deu. Quando a comecei tinha uma ânsia enorme de a ver concluída e o curto prazo que nos impuseram para executar o projeto ainda aumentou mais o desafio”, recordou. Foram 14 meses de muito trabalho, muito intensos, mas que “valeram a pena”. Fez-se “um trabalho espetacular” onde foram aplicadas técnicas que não eram utilizadas na região: “Tendo em conta a traça antiga do edifício nós evitamos o cimento, apostando nas madeiras e em materiais mais adequados como a cal por exemplo”.

De facto, é na reconstrução que o nosso entrevistado se sente bem: “Não gosto de fazer as típicas casas, mas sim aqueles projetos diferentes que me desafiam”, confidenciou o empresário, que tem a seu cargo a construção de uma fábrica (toda em betão à vista) na Gemieira e o Hotel Eco Green, que pautará por uma arquitetura invulgar e rica em pormenores.

Também os filhos de Salvador Fernandes são parte integrante da gestão da empresa: “Os meus filhos dedicam-se à parte do escritório, juntamente com três engenheiros que tratam da parte técnica. E eu acompanho todas as obras”, esclareceu, ao mesmo tempo que nos dava conta da vinda de cada vez mais imigrantes para Ponte de Lima: “Temos muitos estrangeiros a comprar terrenos e a construir em Ponte de Lima. Gostam desta terra e da qualidade de vida que oferece”.

Em final de conversa, o nosso entrevistado garantiu que ser empresário hoje em dia é bem mais difícil do que quando começou: “Há muita burocracia e carga fiscal sobre os nossos ombros. Para além disso, falta mão-de-obra na construção. Não há jovens na nossa terra, muito menos dispostos a enveredar pela construção civil”, lamentou.

Partilhe:
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone