Na Santo Queijo o dia começa bem cedo com a recolha do leite mais fresco e de qualidade diretamente dos pastos da ilha da Madeira. Este é o ingrediente principal de produtos como o queijo fresco e o requeijão fabricados artesanalmente. A tradição de família continua presente nesta referência nos lacticínios que ambiciona lançar novos produtos e ampliar as instalações.

Há retornos que deixam saudades e outros que se revelam verdadeiros sucessos. Foi o caso de João José de Sousa e da família, emigrantes na Venezuela, que decidem voltar a Portugal e assumir o negócio da família. “O fabrico de requeijão de forma artesanal é uma tradição dos meus avós. Produziam-no em panelas de ferro, alimentadas a lenha, mexidas à mão ou com colher de pau e distribuídas em folha de couve”, conta o filho do gerente, João Luís Sousa. Assim nasceu a Santo Queijo, constituída em 1995, preservando a tradição numa vertente mais industrial. Esta queijaria familiar tornou-se uma referência nos lacticínios na ilha da Madeira mas não quis ficar por aqui e evoluiu naturalmente. Em meados de 2000, embarcaram numa nova aventura e introduziram o queijo fresco na região. Visto como uma novidade, por não fazer parte dos hábitos de consumo da população, este lançamento foi um êxito e conquistou os consumidores pelo seu sabor e qualidade. Se no início a família Sousa comercializava cerca de 50 queijos por dia, atualmente são fabricadas 2500 unidades de queijo fresco diariamente.

Fresco e natural

Mas afinal o que torna os lacticínios da Santo Queijo tão especiais? Como é de conhecimento geral, “as vacas não têm fim de semana, feriados nem férias, dão leite todos os dias” e é esse mesmo leite fresco e de qualidade o utilizado no fabrico destes queijos. A empresa dispõe de duas viaturas de recolha de leite que todos os dias, por volta das 5horas da manhã, se desloca aos produtores. “Absorvemos cerca de 95% da produção de leite de vaca da Região Autónoma da Madeira, através dos 35 produtores que nos fornecem diariamente, satisfazendo as nossas necessidades e cumprindo os requisitos para obter uma matéria-prima de qualidade”, adianta João Luís Sousa. Uma parceria baseada na confiança e seriedade que caracteriza todo o trabalho da empresa.

Diretamente dos pastos da Madeira, este leite 100% vaca chega às instalações da Santo Queijo e é sujeito a alguns procedimentos, desde testes de controlo de qualidade a despistagens. De seguida é armazenado nos tanques e direcionado para as linhas de produção de requeijão e queijo fresco. “O processo é relativamente rápido porque lidamos com produtos frescos e a rotatividade entre a matéria-prima e o produto final é diária. Contamos com equipamentos industriais e modernos para estes processos, mantendo o fabrico e receita artesanal”, assegura o engenheiro industrial. Em 2007, a capacidade produtiva aumentou, as instalações foram ampliadas e ocorreram investimentos em equipamento tecnológico. No ano passado, a Santo Queijo adquiriu uma nova máquina transformadora de modo a aumentar a capacidade de embalamento de forma significativa. Contudo, por mês, esta empresa de lacticínios já produz cerca de 10.000 unidades de requeijão.

A valorização do produto regional

A marca Santo Queijo é já reconhecido pelos madeirenses como uma empresa regional de qualidade. Acessíveis a todos, em qualquer superfície comercial da região, os produtos encontram-se ainda em hotéis, restaurantes e até pastelarias que utilizam o requeijão para fabricar a queijada madeirense. Apesar de existir interesse e alguns contactos para levar estes artigos mais longe, a empresa ainda não marca presença no exterior. Portugal Continental, Suíça e França são alguns dos locais que já manifestaram interesse na comercialização dos nossos produtos. A longo prazo é uma “porta que não se fecha”, até porque o mercado da saudade solicita os produtos tradicionais da sua terra de origem.

Inovação e desenvolvimento

Nesta área de negócio é necessário inovar e assinalar presença com o lançamento de novos produtos. Nesse sentido, em 2014 a empresa apostou nas sobremesas lácteas, feitas com requeijão, iogurte e fruta ou outro doce. As Delicias Santo Queijo estão disponíveis em três sabores, maracujá, morango e caramelo e tiveram uma excelente aceitação por marcarem pela diferença. Dada a elevada procura por parte dos consumidores, são fabricadas oito mil unidades por mês.

Disciplina no trabalho, uma equipa experiente e dinâmica e produtores diferenciadores são alguns dos elementos da fórmula de sucesso desta PME Excelência e Líder desde 2010. Ao todo, 15 colaboradores, entre a produção, recolha e distribuição própria compõem a empresa. “O que nos distingue é a qualidade, a seriedade com que trabalhamos e a exigência. O compromisso assumido com os nossos produtores de leite e clientes é essencial. Temos certos cuidados, como transformar o leite em produto final diariamente, isso atribui uma qualidade reconhecida e um produto 100% fresco. Não adicionamos quaisquer conservantes nem aditivos e isso permite-nos ter um queijo diferenciador dos que chegam de fora”, reforça o filho do fundador.

Para o futuro, manter a inovação e acompanhar a evolução do mercado constituem prioridades. Apesar do mercado regional ser limitado, a visão de crescimento da Santo Queijo passa por diversificar o leque de produtos, com lançamentos e a ampliação das instalações, aumentando a capacidade de produção. Queijo branco semiduro e queijo fresco magro são algumas referências que irão ser lançadas, dada a procura e exigências notadas numa sociedade que cada vez mais privilegia um estilo de vida saudável, mas sobretudo, com sabor!

 

Partilhe:
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone