O Gran’Gula representa o encontro perfeito entre a arquitetura rústica e um ambiente moderno. A entrada do restaurante dá lugar a um pátio tipicamente português e deixa antever o requinte das suas salas. A ementa privilegia a gastronomia tradicional, mas deixa espaço para a inovação e criatividade.

Bem-vindos ao Gran’Gula, o restaurante situado na simpática vila de Coruche, que oferece o que de melhor tem a cozinha tradicional, proporcionando-lhe uma viagem de sensações e de sabores únicos, combinados com um ambiente requintado e intimista. Espaço gastronómico por excelência, ideal para se deixar arrebatar por deliciosas iguarias confecionadas pelo anfitrião Pedro Veiga, que nos recebe com grande simpatia e um olhar atento a cada detalhe, para que cada refeição se torne num momento ímpar. Sem sombra de dúvidas, o Gran’Gula é o lugar onde uma refeição significa prazer: de comer, de estar com amigos e de beber um bom vinho.

O Restaurante Gran’Gula reabriu portas há pouco mais de dois meses com um conceito que representa um encontro entre a tradição gastronómica e o desafio de novos ingredientes e aromas, realçando a simplicidade e os sabores. Este espaço esconde um verdadeiro desfile de sabores dos quais destacamos risotto de gambas com cogumelos e lima, bacalhau gratinado com presunto em carcaça de pão caseiro, secretos de porco preto com migas de espargos, empada de cabrito, folhado de perdiz, tornedó em molho de vinho da Madeira, ou com molho de mostarda e estragão.

Iguarias da antiga carta como o magret de pato ou o camarão tigre com aguardente velha também poderão ser uma boa opção, mas terão que ser por marcação.

Esta maravilha gastronómica disponibiliza ainda aos seus clientes um menu executivo durante a semana, apostando essencialmente em pratos mais tradicionais desde pataniscas com arroz de feijão, coelho frito à caçador com arroz de cogumelos silvestres, tiras de choco frito com açorda de grelos, ou iscas de vitela em vinha d’alhos, arroz de louro e alface frisada. Contudo, Pedro Veiga, chef e anfitrião do Gran’Gula, também gosta de contemplar os seus clientes com sabores diferentes como a bolonhesa de salmão salteado com cogumelos e gengibre servido com spaghetti nero, bifinhos de frango com cogumelos, espinafres e molho de soja. “A nossa carta pretende ir ao encontro de um vasto leque de clientes e diferentes gostos aliando propostas tradicionais e sofisticadas, sempre com o objetivo de proporcionar uma experiência gastronómica inesquecível”, revela.

O Gran’Gula está aberto aos almoços de segunda a sexta e jantares de sexta e sábado, permitindo ainda reservas nos períodos de encerramento com marcação prévia. Desde a realização de brunch’s, almoços, petiscos ou jantares, este restaurante assume-se um espaço rústico, mas cosmopolita capaz de criar ambientes distintos. A sua capacidade varia entre 40 a 70 pessoas com a utilização do pátio. Quem conhece o Gran’Gula fica encantado e quem prova não esquece os seus sabores, nem o ambiente, serpenteado pelos sons do jazz e bossa nova.

Pedro Veiga mostra-se satisfeito com a reabertura do restaurante, mas outras ideias estão nos seus horizontes, como um personalizado serviço de chef a cozinhar em casa dos clientes, apostando nos sabores tipicamente portugueses apresentados de forma diferente, onde o requinte e o bom gosto fazem parte dos ingredientes.

Partilhe:
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone