6

Falar da cidade da Horta é falar de mar. Vem do mar a sua fama e também o seu progresso. É no mar que a Horta concentra a sua ciência, o seu desporto, a sua cultura cosmopolita. É o mar o seu desígnio futuro como foi o seu passado. José Leonardo Silva, presidente da Câmara Municipal, fala-nos deste progresso que a cidade enfrenta. Seja bem-vindo à Horta!

Situada na ilha do Faial, no extremo ocidental do grupo central do arquipélago dos Açores, a cidade da Horta ergue-se, imponente, sobre o mar. Procurada cada vez mais por turistas de todo o mundo, que valorizam a segurança e a conjugação entre o cosmopolismo da cidade e a natureza pura desta ilha, a Horta tem crescido de forma sustentada, conforme nos refere, em entrevista, José Leonardo Silva.
Presidente da Câmara Municipal desde 2013, o edil dá-nos conta dos desafios enfrentados neste primeiro mandato, que apelida de “exigente e de grande sentido de responsabilidade”. 2013 foi mesmo o ano do auge da crise económica que afetou o país, o que exigiu fortes medidas por parte do executivo camarário. O principal foco de José Leonardo Silva foi o social. “O desemprego estava no auge, o que exigiu das autarquias uma forte intervenção social. Deste modo, criámos uma medida excecional, o Fundo de Emergência Social que, juntamente com os programas sociais do Governo Regional dos Açores, criou emprego e amenizou a crise social”, recorda.
Ainda no âmbito social foi criado o projeto ‘Novos Desafios’, que pretendeu dotar os munícipes de ferramentas de gestão doméstica e de cidadania ativa, com vista a fomentar a aproximação entre estes e o município. Focado nos mais novos surgiu o programa ‘Aprender Mais’, destinado a dar apoio às crianças com dificuldades.
As freguesias não foram esquecidas. Embora as transferências gerais do Estado a elas destinado tenham sido reduzidas, o valor das verbas atribuídas pela Câmara Municipal não foi alterado. Aliás, foi criado o Fundo de Investimento das Freguesias, destinado a incentivar protocolos com o governo ou outras entidades, sendo que a Câmara Municipal utilizaria esse fundo para comparticipar o restante desses projetos.

Município virado para o futuro
“Os municípios não podem centrar-se só nas infraestruturas, mas sim na visão para o futuro”, começa por referir José Leonardo Silva, destacando a criação, durante o atual mandato, do Gabinete Municipal do Investidor. Este gabinete, em conjunto com as várias parcerias feitas com a Câmara do Comércio da Horta e a Cooperativa Agrícola do Faial, têm possibilitado quer a criação de novos empregos, quer a preservação dos mais tradicionais, como os do setor primário.
“Foi um mandato muito desafiante e muito difícil, mas cumprimos com o que foi assumido. Ainda há muito para fazer, muitas perspetivas de futuro, mas estão lançadas as bases para uma estratégia que a câmara tem para o desenvolvimento do concelho”, acredita o edil.
Futuro na Horta passa então, como não poderia deixar de ser, pelo mar. Deste modo, estão previstos uma série de investimentos, no valor de 10 milhões de euros, destinados a requalificar, durante os próximos cinco anos, a frente-mar da cidade e a melhorar as acessibilidades, necessárias com o aumento do turismo que a ilha vivencia. A obra contempla a requalificação de cerca de uma dezena de artérias citadinas, a construção de um jardim junto ao mar e a criação de parques de estacionamento.
“Este projeto representa uma mudança de paradigma! Queremos projetar a cidade para os próximos 50 anos”, sublinha o presidente da Câmara Municipal.
E se chegar à cidade da Horta por via marítima é muito fácil, fruto das ligações de elevada qualidade às restantes ilhas do triângulo açoriano – Pico e São Jorge –, por via aérea a ilha conta com ligações diretas a Lisboa. José Leonardo Silva pretende ver criadas novas ligações, já que a procura por parte dos investidores é grande: “temos conhecimento de projetos que pretendem criar na ilha mais de 500 camas”, garante.

Desafios e trabalho de mãos dadas
Com tantos projetos futuros, a candidatura a um segundo mandato surge naturalmente: “os nossos desafios são muitos, mas estão planeados e há muito trabalho à nossa frente para desenvolvermos a ilha do Faial e o concelho da Horta. Os compromissos que assumimos são para cumprir”, reitera.
José Leonardo Silva aproveita para convidar todos os que ainda não conhecem esta pérola do Atlântico para que venham até ao Faial e se apaixonem pelas maravilhas que esta ilha tem para oferecer: “Aqui render-se-á à história e à natureza. Poderá visitar o mais jovem vulcão da Europa, o Vulcão dos Capelinhos. Poderá contactar com a natureza no seu estado puro, percorrer a marina e conhecer as marcas dos numerosos marinheiros que ao longo das décadas por aqui têm passado numa galeria a céu aberto, pronta para o receber. Deixe-se levar por histórias de cabos submarinos, por baleias e praias de areia negra. Estamos aqui, na Horta, ansiosos pela sua visita!”.

Partilhe:
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone