Em entrevista à Portugal em Destaque, Alfredo Sousa, presidente da Junta de Freguesia de Campo e Sobrado apresenta os projetos e ambições que tem para estas duas vilas.

Apresente-nos a sua opinião sobre a agregação das freguesias de Campo e Sobrado.

Sempre me opus à agregação das freguesias e estou com a esperança de que o atual Governo efetue alterações à Lei nesse sentido. As vilas de Campo e Sobrado são díspares quanto ao número de habitantes, equipamentos, área e ao nível social e cultural, pelo que não faz sentido que continuem unidas. Na altura em que foi implementada a União das Freguesias, o meu Executivo fez um levantamento das áreas que necessitavam de maior intervenção em Sobrado, procurando colmatar as dificuldades sinalizadas. Em Campo, o projeto já seguia em velocidade cruzeiro, uma vez que estava a concluir o mandato que tinha como presidente da Junta de Freguesia de Campo, quando ocorreu a agregação.

As vilas de Campo e Sobrado são, no geral, muito diferentes?

Sobrado tem uma área muito extensa e com menos população que, na sua maioria, se dedica à agricultura. Comparativamente a Campo, tem algumas pequenas empresas e sofre de alguns atrasos estruturais e de investimento. Estamos a tentar nivelar essa diferença com intervenções conjuntas entre este Executivo e a Câmara Municipal de Valongo.  Campo tem uma área mais pequena, servida por uma zona industrial que dinamiza a economia local e fomenta a empregabilidade, além disso, é a mais populosa das duas vilas. É servida por duas autoestradas e atravessada por uma linha de caminho de ferro. O facto destas duas comunidades serem as menos desenvolvidas do concelho apresenta-se em forma de desafio para este Executivo. Somos uma equipa ciente das nossas capacidades e enfrentamos os obstáculos como desafios a superar, tentando sempre evitar erros urbanísticos e de investimento, comuns noutras freguesias do nosso país. Com estas medidas, espero que Campo e Sobrado sejam as comunidades que, nos próximos 20 anos, apresentem uma qualidade de vida superior, com excelentes comodidades para toda a população no universo do concelho de Valongo. O rio Ferreira atravessa as duas localidades, representando um dos pontos em comum entre Campo e Sobrado. No meu primeiro mandato, anterior à agregação das freguesias, eu e a minha equipa considerámos que era necessário concretizar várias intervenções, nomeadamente ao nível das infraestruturas e dos equipamentos, promovendo novas dinâmicas funcionais e de trabalho. Este trabalho manteve-se aquando da agregação das duas freguesias. Foram adquiridos novos equipamentos para os funcionários poderem desempenhar melhor as suas funções, nomeadamente uma carrinha para transporte de funcionários e mercadorias e novos instrumentos e máquinas de trabalho. Sobrado está, atualmente, a receber o mesmo nível de investimentos, muito por força do trabalho conjunto realizado entre a Junta de Freguesia e a Câmara Municipal de Valongo.

Concretizou vários projetos e fez avultados investimentos em prol do bem estar da população de Campo e Sobrado. Quais os que destaca?

Dentro dos investimentos efetuados destaco o Centro Cívico, onde se realizará a feira semanal da vila de Campo, está instalado um parque infantil e um conjunto de máquinas de manutenção. Recentemente, foi adquirido mais um dos terrenos anexos, por forma a realizar projetos de ampliação da área de lazer e bem estar das freguesias de Campo e Sobrado. Todos estes avanços foram realizados com um grande esforço financeiro desta Junta de Freguesia. A relação com a Câmara Municipal de Valongo mantém-se saudável e profícua. Um bom exemplo desta parceria foi o investimento, de cerca de 265 mil euros, realizado no Estádio de Campo – António Jorge da Costa, dividido em parcelas de 50 por cento a cada entidade. A construção do Centro Cívico e a concretização da obra da Alameda em frente à Igreja Matriz de Campo foram investimentos divididos entre a Junta de Freguesia e o Município, permitindo que estes espaços sejam utilizados por toda a comunidade. A aquisição dos terrenos envolventes do Centro Cívico tem como principais objetivos o alargamento do Centro Cívico de Campo/Parque de Lazer à Estrada Nacional 115, concretizando a união de cerca de nove hectares de terreno de parque de lazer disponível para toda a população e a quem nos vier visitar. Ambicionamos ainda, no decurso deste mandato, iniciar e concluir uma passagem paralela (passadiços) ao rio Ferreira, desde a Ponte 25 de Abril até à Ponte dos Arcos, um aqueduto da idade média.

Quer deixar uma mensagem para os seus fregueses e leitores?

Defendo o poder autárquico, não pelo poder em si, mas pela proximidade com a população, a facilidade de execução de medidas, na sua maioria, prementes e que devem surtir efeitos imediatos. Somos entidades mais pequenas, por isso, mais fiscalizadas, nomeadamente pelos contribuintes que são os nossos fregueses, daí que os investimentos realizados a partir das juntas de freguesia são mais cirúrgicos, realizados nos locais corretos e com custos mais baixos.  Quero continuar o meu trabalho de proximidade e a apoiar as entidades locais, as associações, a manter a tradição com as festas das nossas gentes, assim como a dinamizar a cultura e o desporto, do qual é exemplo a equipa de Basquetebol da Junta de Freguesia, que abrange os jovens de Campo e Sobrado. Ao nível das infraestruturas e dos equipamentos, espero ainda neste mandato iniciar as obras da segunda fase do Cemitério Municipal de Campo, iniciar as obras de construção da nova Capela Mortuária de Campo e continuar a trabalhar no alargamento e desenvolvimento do Centro Cívico de Campo. Em Sobrado, iremos iniciar o projeto de construção dos novos nichos no Cemitério Paroquial de Sobrado, a criação do Parque de Lazer da Lomba e da Gandra e proceder à requalificação do Campo e Jogos de Fijós.

Partilhe:
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone