Desde a praia da Ilha da Fuseta até ao lado mais rural de Moncarapacho, as duas freguesias mostram um Algarve com muito por conhecer. São 74 km2 correspondentes a mais de metade do concelho de Olhão que nos foram apresentados pelo presidente desta União de Freguesias, Manuel Carlos de Sousa.

Manuel Carlos iniciou a sua atividade política em 1993 e tem vindo a acompanhar, ao longo dos seus dois mandatos, o desenvolvimento das freguesias de Moncarapacho e da Fuseta. “Estamos a falar de freguesias muito calmas. Temos muita qualidade de vida e estamos perto de tudo, inclusive da capital do Algarve – Faro e do aeroporto”, começou por contar o presidente.
Da praia da Fuseta aos cerros de Moncarapacho existe um equilíbrio perfeito, entre o que é entendido como litoral e interior, dentro da mesma freguesia. A Ria Formosa estende a entrada para a Ilha da Fuseta, onde no oceano é possível mergulhar entre os cardumes de atum. Em Moncarapacho, o Cerro de S. Miguel transforma-se num imponente miradouro para observar os desenhos das ilhas da Ria Formosa, para descobrir os contornos das suas praias e canais, e para distinguir os diversos tons que a cor do mar do Oceano Atlântico pode exibir. O cartão de visita é, portanto, a diversidade territorial que possibilita um turismo mais diversificado e que, por outro lado, tem trazido à freguesia uma crescente procura de imóveis. “Nos últimos quatro anos, o turismo de natureza tem vindo a crescer, e consequentemente tem aumentado a procura de casas por parte dos estrangeiros. Neste momento há falta de imóveis para satisfazer toda esta procura”, referiu o presidente
Como em todo o país, a gastronomia é especialmente distinta nestas freguesias. Saborear o peixe e marisco ali pescado, na Ria Formosa, oferece uma experiência única de sabores e aromas. Por outro lado, existem as hortícolas e os citrinos produzidos mais no interior das freguesias, complementando assim uma viagem gastronómica feita exclusivamente com produtos da região.

Freguesias dinâmicas, de janeiro a dezembro
O forte associativismo e o interesse cultural dão vida a Moncarapacho e à Fuseta. Os eventos de cariz desportivo, cultural e religioso são uma constante. O ano de 2019 marca os 120 anos do Carnaval de Moncarapacho, mas para além deste evento é de destacar as concentrações motard, as Festas de Nossa Senhora do Carmo e o MonJazz – Festival de Jazz de Moncarapacho. “Temos uma programação de janeiro a dezembro e fazemos tudo para manter a identidade das duas freguesias”, explica o presidente.

Preservar para progredir
Há um esforço feito no sentido de preservar o património existente e melhorar a qualidade de vida da população. Até à data, o presidente já conseguiu manter a progressão do Parque de Campismo da Fuseta, o revestimento do Pavilhão Multiusos, em Moncarapacho, a recuperação da entrada do Cemitério da Fuseta, a reabilitação dos espaços verdes, um melhoramento na limpeza da freguesia e ainda uma melhoria nas acessibilidades. No entanto, garante que faz parte do plano tentar reabilitar o edifício do icónico Cinema Topázio, na Fuseta.
Liderar duas freguesias tão distintas é um desafio, mas Manuel Carlos de Sousa pretende continuar o trabalho lado a lado com os seus fregueses, na esperança de um dia conseguir concretizar todos os seus objetivos. Em jeito de conclusão, o presidente deixou o convite a todos os nossos leitores: “A quem nos vier visitar, certamente ficará muito agradado com a experiência”.

Partilhe:
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone