A empresa Vaid´agulha existe há 12 anos, em Santa Maria da Feira, e é responsável pela produção de um colchão inovador e 100 por cento biodegradável. Gorete Pinheiro é a gerente desta entidade e foi com ela que estivemos à conversa para esta edição da Portugal em Destaque.

Inicialmente vocacionada para o fabrico de artigos ‘protege colchões’ – pequenas placas de visco e espuma que se colocam sobre colchões antigos por forma a dar-lhes uma nova imagem e conforto – a Vaid´agulha aventurou-se, também, no fabrico e comercialização de colchões (desde há cinco anos): “Queríamos colocar no mercado um produto até então inexistente”, começou por contar a nossa entrevistada.

Surgiu, assim, o Bio Naturel – um colchão biodegradável, feito à base de soja e com uma capa de fecho que se retira e limpa facilmente: “Este é um produto pensado para facilitar a vida das ‘donas-de-casa’ e, como não contém qualquer produto químico, qualquer bebé pode dormir em cima dele, mesmo sem a capa”, afirmou.

 

CAIXA 1

Gorete Pinheiro aconselhou aos nossos leitores a doarem os seus colchões mais antigos (mas em boas condições) a instituições de solidariedade social ou a pessoas mais carenciadas. No caso de já não se encontrarem em boas condições, há entidades que desmontam os colchões e reaproveitam alguns dos materiais.

 

De Santa Maria da Feira para França

O produto inovador, lançado no mercado por Gorete Pinheiro e os seus dois colaboradores, José Guimarães (responsável pelas vendas) e Marília (costureira), viu no mercado francês uma oportunidade de expansão: “Infelizmente, o mercado nacional é praticamente nulo. Temos em França quase todas as nossas encomendas e, até hoje, nunca nos faltou trabalho”, admitiu.

A par do mercado em que são comercializados, também os nomes dos produtos fabricados pela Vaid´agulha são em francês. Para além do Bio Naturel, também se destacam o Sur Matelas (protege colchões) e o Topper (um misto entre o protege colchões e o colchão, conta com uma placa mais alta e capa de fecho). O conforto que proporcionam a todos quantos utilizam estes produtos é o elo comum e a qualidade, uma garantia assumida pela Vaid´agulha: “O nosso lema é produzir bem e com qualidade. Não temos uma única reclamação. É isso que exijo de mim própria e de quem trabalha comigo”, reiterou a empresária.

No que diz respeito ao futuro, a nossa entrevistada garantiu querer continuar a inovar e a apostar em novas ideias: “Queremos continuar a trabalhar nesse sentido, sempre com o objetivo de agradar ao cliente. Queremos crescer, mas não em demasia porque não queremos perder a nossa essência”, finalizou.

Partilhe:
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone