No litoral de Gaia, situam-se as freguesias de Gulpilhares e Valadares. Freguesias muito diferentes, mas onde a qualidade de vida é uma garantia.

Gulpilhares e Valadares outrora freguesias gaienses vizinhas, mas as suas semelhanças contam-se pelos dedos. O perfil de Gulpilhares é predominantemente residencial, enquanto Valadares tem uma forte componente industrial e comercial. Estas diferenças foram postas à prova quando há quatro anos ambas as freguesias foram agregadas pela reforma administrativa que mudou o perfil autárquico português.

Em freguesias de tão ampla extensão e tão díspares características, a gestão tem que ser feita por uma mão experiente e rigorosa. É a mão de Alcino Lopes, o presidente de junta mais antigo de Vila Nova de Gaia.

Quando em 2013 nasceu a União de Freguesias de Gulpilhares e Valadares novos desafios chegaram às mãos de Alcino, nomeadamente a necessidade de gerir uma freguesia com graves problemas estruturais e com características pouco semelhantes às de Gulpilhares. O presidente Alcino viu-se assim a braços com o desafio de lidar com duas freguesias que funcionam a ritmos diferentes e que têm perfis quase antagónicos.

Enfrentou a difícil tarefa de gerir uma nova freguesia, sem contudo se poder esquecer das necessidades da antiga. O resultado foi uma união de freguesias com finanças saudáveis onde se pode viver com excelente qualidade de vida e onde o objetivo primordial da junta não é apenas pagar as contas, mas também apostar no investimento.

Disponibilidade e proximidade

Alcino Lopes já é presidente de junta há mais de três décadas, mas a disponibilidade para com os fregueses parece não ter fim. O presidente explica que faz questão de ter sempre a casa aberta para todos os que têm necessidade de contacta-lo, na qualidade de presidente de junta.

A disponibilidade para com os fregueses é uma das características do presidente de junta mais antigo de Vila Nova de Gaia, que frisa a importância da comunicação para o bom funcionamento da freguesia. Alcino Lopes faz questão de enfatizar que tanto em Gulpilhares como em Valadares não é preciso marcação para falar com o presidente da junta.

“Os cidadãos são cada vez mais reivindicativos”, explica o presidente que atribui este fenómeno às redes sociais. Estas, na sua opinião, tanto podem ter um papel nocivo como positivo e por isso continua a preferir a comunicação cara-a-cara, onde todas as dúvidas podem ser esclarecidas rapidamente e os assuntos são tratados com mais rigor.

O futuro de Gulpilhares e Valadares

Para o presidente Alcino, os desafios que a união de freguesias enfrenta estendem-se a vários níveis, mas nem todos são da responsabilidade da junta de freguesia, relembra. Ainda assim, o presidente frisa que os principais obstáculos encontram-se no plano da mobilidade e ordenamento de território, embora também haja alguma carência de respostas sociais, sobretudo em Valadares.

Desta forma, no futuro, o presidente da União de Freguesias de Gulpilhares e Valadares pretende fazer o que estiver ao seu alcance para que as freguesias melhorem nestas áreas, mas relembra que existem outros trabalhos, como por exemplo a manutenção de equipamentos que também são necessários e que o orçamento deve ser criteriosamente gerido.

O presidente considera que as juntas de freguesia deviam ter mais autonomia dado que o poder local é aquele que mais proximidade tem com os cidadãos, mas enquanto isso não acontecer a sua acção encontra-se limitada, sobretudo, por barreiras orçamentais.

A hipótese de uma nova candidatura, não está na cabeça de Alcino Lopes que por enquanto prefere focar-se num futuro bem mais próximo e desejar a todos os fregueses “uma casa cheia” para as quadras festivas que se aproximam.

Partilhe:
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone