Com mais de 15 anos no mercado, a marca Windpassenger® é líder em Portugal, dedicando-se em exclusivo ao transporte de passageiros em balão de ar quente. Desde 2004 já voou mais de 26.000 pessoas com uma equipa de pilotos experientes e qualificados, proporcionando experiências inesquecíveis e mágicas.

Subir aos céus a bordo de um balão de ar quente é uma experiência de vida inesquecível. Sem rumo nem destino marcado a viagem é feita ao sabor do vento. Cada voo é único e irrepetível. Se o seu sonho é voar de balão mas nunca teve a coragem, ou a oportunidade, para o fazer, Guido Santos garante que com a Windpassenger basta embarcar e desfrutar da viagem.

A empresa foi fundada em 2004, e desde então já transportou mais de 26 mil passageiros, com uma equipa de pilotos experientes e qualificados. Mas a paixão pelo balonismo é mais antiga, começando com o pai, Carlos Manuel Santos, que viu pela primeira vez um balão de ar quente em 1978, na cidade holandesa de Utrecht. Até 1994 acompanhou equipas holandesas e espanholas, tendo realizado voos na Holanda (Utrecht), Portugal (Açores, Madeira), França (Limoge, Pau), Suíça (Basileia), Espanha (Ponteceso, Coruña, Ponferrada, Logroño, Madrid), Emirados Árabes Unidos (Abu Dhabi, Dubai), Marrocos (Ourzazate, Marraquech). Por Portugal, o percurso iniciou-se em 1987 com um balão da Fiat no Rally de Portugal e em 1988/89 com o balão da Fnac. A paixão passou de geração e em 2004, Guido Santos fundou a Windpassenger, dedicada unicamente a voar passageiros. A marca é hoje gerida pela Passageiros do Vento, uma empresa de animação turística que se dedica ao transporte de passageiros em balões de ar quente e que faz da segurança a sua prioridade.

O objetivo, assume o responsável de operações, era “poder partilhar a incrível sensação de subir em altitude a bordo de um balão de ar quente”. E para tornar a experiência ainda mais inesquecível, a empresa tem 10 balões completos, nomeadamente, o maior balão de ar quente da Península Ibérica, com lugar para 24 pessoas e dois pilotos, oferecendo mais espaço e conforto. “Vamos candidatar-nos a um projeto, no âmbito dos fundos comunitários, para trazer para Portugal o maior balão de ar quente do mundo a voar passageiros, ou seja um balão para 32 pessoas e dois pilotos”, revela o responsável, esclarecendo que, por um lado, será um novo desafio e, por outro lado, será no sentido de rentabilizar e facilitar o acesso de todos a esta experiência inesquecível.

Se a segurança o preocupa saiba que esta é uma empresa “com a cabeça nas nuvens mas os pés bem assentes no chão”, sublinha Guido Santos. A Windpassenger conta com todos os certificados, seguros e licenças da European Aviation Safety Agency (EASA) e é inspecionada todos os anos por uma empresa CAMO (Continuing Airworthiness Management Organisation). “Tudo para lhe garantir a máxima qualidade e segurança, desde o primeiro momento”, realça. A Windpassenger está habilitada a realizar voos em todo o país e dá ainda apoio a formação, licenciamento das práticas de balonismo, registo e certificação na ANAC, organização e manutenção (AMO) ou continuação da certificação (CAMO).

Com mais de 20 anos de experiência e mais de 2500 horas de voo, Guido Santos é instrutor e tem o projeto de criar uma escola em 2018, para que seja possível obter a licença de voo portuguesa, uma vez que hoje quem pretender obter a sua licença terá que o fazer fora do país.

Paralelamente, Guido Santos pretende tirar a licença de balões a gás e, em 2020/2021, participar na Coupe Aéronautique Godon Bennett, a corrida de balões a gás mais antiga do mundo, cujo objetivo é voar a maior distância. Portugal nunca participou nesta corrida e Guido Santos gostaria de ser um dos elementos da primeira equipa portuguesa, tendo no horizonte a vitória, já que o país da equipa vencedora é o anfitrião da edição seguinte.

Uma aposta ganha

Entre os dias 28 de março e 2 de abril de 2017, os céus da pacata vila ribatejana de Coruche, encheram-se de cor e fantasia. Foi esta a proposta da Rubis Gás, patrocinador principal, e da Windpassenger, empresa organizadora da primeira edição do Rubis Gás UP — Festival Internacional de Balonismo Coruche. Com o apoio das instituições locais e do tecido empresarial, o festival acolheu 35 equipas oriundas de todo o mundo, como Brasil, Espanha, França, Alemanha, Luxemburgo, Holanda, Inglaterra e, claro, Portugal.

O céu encheu-se de figuras invulgares, como balões em forma de mota, dragão marinho, pelicanos, gelados, piratas, garrafas de gás, enfim nos céus de Coruche desfilaram alguns dos mais originais e surpreendentes exemplares do mundo. Em simultâneo com os passeios de balão, realizaram-se atividades lúdicas para as crianças e toda a família, no Parque do Sorraia, como uma feira de artesanato, caminhadas, street food e um espetáculo noturno de luz dos balões com música. Guido Santos considera que foi um sucesso e certamente uma aposta ganha. “O retorno do evento foi muito positivo, cerca de 36 vezes o investimento inicial e, para além disso, o festival recebeu mais de 15 mil visitantes, um excelente número para esta 1ª edição. “Este evento é para continuar e a ideia é apostar sempre nos balões de forma especial, aliás este ano o festival contou com a mota, o maior balão de ar quente do mundo de forma especial”. Em 2018 o Festival Internacional de Coruche irá realizar-se entre 6 e 11 de novembro.

A sua marca em destaque no céu

Para além de voos de passageiros particulares e empresariais, ou até voos feito à medida, a Windpassenger estendeu a sua oferta de serviços à publicidade e venda de balões personalizados. Pense num design, uma marca, um produto, uma mascote, a sua imaginação é o limite. A Windpassenger trata de tornar o seu sonho uma realidade.

Uma experiência inesquecível

A Windpassenger, empresa líder nacional em voos de balão de ar quente, tem um produto exclusivo nas lojas FNAC em Portugal. Três Gift Cards (Discovery, Portugal e Dream & Fly Away) com experiências únicas de voo a partir de 99€ para oferecer neste Natal. Os CTT também iniciaram nesta época natalícia a venda do produto The Skybox pelo preço de 129€.

Os packs variam consoante o destino, duração do voo e vantagens incluídas. O Gift Card Discovery, versão low cost, oferece um voo de 50 minutos (às sextas-feiras) sobre as serenas planícies de Coruche e do Ribatejo. Já o Gift Card Portugal leva-o a descobrir algumas das mais bonitas paisagens de norte a sul do país em destinos selecionados como Lisboa Vale do Tejo, Aveiro, Castro Verde, Alqueva, entre outros, num voo com duração até 1h30 por 159,90€.

Por outro lado, o Gift Card Dream & Fly Away, oferece a experiência mais completa e vantajosa, que inclui um voo para duas pessoas e alojamento com pequeno-almoço em Coruche ao preço especial de 299,90€. The Skybox é uma caixa de oferta preparada para impressionar quem a receber e inclui folheto e postais exclusivos the Skybox ao preço especial de 129€. O pack WP Romance permite um voo único e exclusivo com a sua cara-metade, com a duração média de 1h30 e inclui um brinde com champanhe no final do voo, por 600 euros. Por último, o Flying With The Stars oferece a experiência única de um voo noturno onde poderá presenciar a magia do nascer do sol ao nível do seu olhar. Este voo tem a duração média de 2h e o valor ascende aos 1000€. Fácil, acessível e certamente inesquecível, os packs da Windpassenger são o presente certo para impressionar quem mais gosta neste Natal.

Partilhe:
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone