Agriparrinha
Agriparrinha

Genuíno e de sabor tradicional. Assim poderíamos começar por descrever o Azeite Parrinha, produzido pela empresa Agriparrinha, Lda. Pedro Loução é o rosto por detrás deste projeto e foi com ele que estivemos à conversa para conhecer um pouco melhor este negócio familiar com mais de 70 anos de história.

Em funcionamento desde a década de 1950, o Lagar Agriparrinha é um exemplo de perseverança que ainda hoje mantém viva a tradição e memória das gerações de uma família. Fale-nos um pouco mais deste projeto.

O lagar mantém viva uma tradição familiar, com mais de 70 anos de história. Continuamos a apostar na produção regional, proveniente das melhores azeitonas vindas de oliveiras de variedade Galega. A azeitona Galega é uma variedade exclusivamente portuguesa e de qualidade excecional, indiscutivelmente uma das melhores, que nos permite manter o sabor tradicional e genuíno do azeite que produzimos, o Azeite Parrinha. Atualmente, o Lagar Agriparrinha produz duas categorias de azeite, Virgem e Virgem Extra, ambas de excelente qualidade e que podem ser adquiridas nos diversos pontos de venda que temos distribuídos pelo litoral alentejano, ou por encomenda, através do email parrinha.7@gmail.com. Para além disso, o nosso azeite também já marca presença em mercados internacionais como é exemplo o da Áustria, França, Espanha, Itália, Alemanha e Reino Unido.

Agriparrinha
Agriparrinha

Atualmente, o Lagar Agriparrinha produz o Azeite Parrinha nas categorias Virgem e Virgem Extra. Quais as principais diferenças entre ambos?

De facto, ainda existe uma grande confusão entre o denominado azeite Virgem e o azeite Virgem Extra. A principal diferença prende-se, sobretudo, com o grau de acidez.  Quanto mais maturada está a azeitona, maior é o seu grau de acidez e mais intenso é o seu sabor. A diferença entre o azeite Virgem e o Virgem Extra é estabelecida por parâmetros físico-químicos, como a acidez, e sensoriais, como o sabor. O azeite Virgem Extra tem de ser frutado e não pode apresentar defeitos. É de qualidade superior, possui sabor e cheiro intensos a azeitona sã, uma acidez igual ou inferior a 0,8% e não apresenta defeitos organoléticos. Por sua vez, o azeite Virgem, que também é frutado, poderá apresentar defeitos, provocados pela maturação das azeitonas antes da extração. Tem boa qualidade, sabor e cheiro a azeitona sã e uma acidez igual ou inferior a 2%. Embora ambos sejam ótimos para consumo devido às suas propriedades, graças à sua baixa acidez, o azeite Virgem Extra é a opção mais recomendada para crianças, ou pessoas com qualquer tipo de problema gástrico.

Agriparrinha
Agriparrinha

O Lagar Agriparrinha vem apostando, ao longo das décadas, na introdução de equipamentos modernos, garantindo desta forma um melhor desempenho em toda a cadeia de produção. Esta constante aposta na modernização tem sido um dos principais diferenciais do projeto?

Sem dúvida. O lagar foi fundado pelo meu avô, juntamente com um irmão, nos anos 50 época em que ainda se recorria às antigas prensas para a realização da produção. Em 1986 o lagar foi alvo de uma modernização, tendo sido à época um dos primeiros lagares, a nível nacional, a adotar as linhas de produção que ainda hoje são utilizadas. Em 2007, o lagar sofreu uma nova remodelação, aumentamos a capacidade de produção e, se anteriormente tínhamos uma capacidade de produção de 60 toneladas em 24 horas, hoje temos capacidade de produção de 100 toneladas em 24 horas. Procuramos apostar na modernização dos processos de produção, sempre que possível, de forma a garantir a sustentabilidade do negócio. Apesar desta constante aposta em inovação, continuamos a realizar a tradicional apanha da azeitona. Para além de ser uma tradição tão portuguesa, é também, simultaneamente, uma apanha sustentável, uma vez que, ao contrário do que já se verificou com a apanha mecanizada, não constitui uma ameaça para a biodiversidade. No futuro, continuaremos a apostar na modernização da produção, sempre tendo como principal objetivo manter a qualidade do azeite produzido.