Margarida Belém, Presidente da Câmara de Arouca - Portugal em Destaque 1_1

Um território com selo UNESCO, com um rico e singular património geológico e natural, que oferece um conjunto alargado e diversificado de experiências – culturais, desportivas, de natureza, gastronómicas – e com diferentes níveis de adrenalina, assim é o município de Arouca, nas palavras de Margarida Belém, Presidente da Câmara Municipal de Arouca. Situado no distrito de Aveiro, o município, na voz da autarca, prevê com otimismo um retorno ao fluxo turístico registado antes da pandemia.

A cultura e o turismo são dois setores de elevada importância para o concelho de Arouca. A 516 Arouca – Ponte Suspensa e os Passadiços do Paiva são dois pontos de atração nacional e internacional e reconhecidos com vários prémios. Gostávamos de ouvir a sua reação a estes reconhecimentos.

Desde o primeiro momento que quisemos construir a “marca Arouca” alicerçada na nossa identidade, pois é isso que nos distingue dos demais concelhos e destinos turísticos. Quisemos apostar em projetos inovadores e diferenciadores que valorizassem os nossos recursos, nomeadamente naturais, e foi isso que fizemos, primeiro com os Passadiços do Paiva, que se desenham ao longo de 8 quilómetros da margem esquerda do rio Paiva, e mais recentemente com a 516 Arouca, a maior ponte pedonal suspensa do mundo que liga as duas margens do Paiva e nos possibilita uma experiência única do vale do Paiva, muito concretamente de dois dos seus geossítios mais icónicos – a Garganta do Paiva e a Cascata das Aguieiras. Importa referir que estes projetos se inserem numa estratégia de desenvolvimento territorial também ela diferenciadora que começou a ser desenhada em 2009 com a criação do Arouca Geopark, integrando atualmente a rede global de geoparques das UNESCO. Os prémios que temos vindo a receber são o reconhecimento pelo trabalho feito, pelo arrojo que um município de dimensão pouco expressiva à entrada deste Portugal interior faz em infraestruturas desta natureza que o catapultam, por exemplo, para as páginas dos media internacionais como aconteceu há pouco tempo ao sermos eleitos pela icónica revista Time como um dos 100 destinos a visitar em 2021.

O executivo camarário prima pelo dinamismo a nível cultural, turístico e de festividades. Apresente algumas das iniciativas planeadas para datas próximas.

Estamos a retomar a atividade cultural, turística e as festividades que haviam ficado suspensas com a pandemia. O próximo grande evento que iremos ter, entre 23 e 28 de novembro, é o Arouca Rafting Summit, que pretende promover as águas bravas em geral e a modalidade de rafting praticada no rio Paiva em particular. Integra, entre outras atividades, uma descida promocional de rafting, uma conferência e a “Taça de Portugal de Rafting Open”. Durante o mês de dezembro e o início de janeiro, teremos a programação de natal, com um conjunto muito diverso de eventos, entre os quais figurarão, certamente, o tradicional concerto de natal e os cantares das Janeiras. A celebração do entrudo será outro dos eventos que marcará o primeiro trimestre de 2022, com o reavivar de tradições como “a queima do velho” e a seleção do melhor mascarado tradicional.

Câmara Municipal de Arouca
Câmara Municipal de Arouca

O teatro musical “Um Novo Amanhã”, retrata factos reais ocorridos em Alvarenga, uma freguesia de Arouca, relacionados com a exploração de volfrâmio nas afamadas minas de Regoufe e vai percorrer o país. Considera esta iniciativa trará ainda mais visibilidade a Arouca?

Naturalmente que sim. Dará sobretudo maior visibilidade a um período da nossa história local (a I e a II Guerra Mundial) e a um património (mineiro) que queremos dar, nos próximos anos, ainda maior protagonismo. Para o efeito, pretendemos intervir nos antigos complexos mineiros, começando por Rio de Frades, possibilitando a sua recuperação e valorização para fins culturais, e turísticos e desportivos.

Considera que a retoma turística vai aumentar e retomar os números anteriormente registados?

Estamos confiantes que sim, e que essa retoma acontecerá sobretudo a partir de 2023. A pandemia alterou alguns hábitos de procura turística, com as pessoas a passarem a privilegiar destinos de natureza, mais isolados, com maior dispersão de pessoas (turistas e locais), e o nosso território e todas as suas especificidades respondem a esses novos hábitos dos turistas.

Pretende deixar uma mensagem aos nossos leitores para visitarem o concelho de Arouca?

Somos um território com selo UNESCO, com um rico e singular património geológico e natural, que oferece um conjunto alargado e diversificado de experiências – culturais, desportivas, de natureza, gastronómicas – e com diferentes níveis de adrenalina. Num dia poderemos estar a percorrer a maior ponte pedonal do mundo ou a descer um dos mais bravos rios da Europa – o Paiva, e no dia seguinte estarmos a descobrir os tesouros de um dos mais importantes museus de arte sacra do país – o Museu do Mosteiro de Arouca, ou ainda a deleitar-nos com a requintada doçaria conventual, legado desse mesmo espaço monástico. Somos assim um território que apela aos sentidos, à descoberta, ao conhecimento, ao ritmo que desejarmos.

Arouca