Apesar dos obstáculos e desafios que a Electro Siluz tem ultrapassado, a vontade de crescer, consolidar o trabalho desenvolvido até então e desenvolver novas oportunidades, permaneceu intacto. Jorge Silva, gerente, garante que a empresa quer marcar a sua posição no mercado nacional evoluindo o melhor e mais rapidamente possível no mercado digital.

Jorge Silva, gerente da Eletro Siluz - Portugal em Destaque
Jorge Silva, gerente da Electro Siluz – Portugal em Destaque

Na última década quais os principais marcos que definiram o percurso da empresa?

A última década da Electro Siluz foi particularmente difícil, mas, ao mesmo tempo, entusiasmante enquanto desafio.

Foi nesta década que a empresa se revitalizou e se preparou para os desafios que íamos enfrentar, quase como se fosse o destino a falar.

Em 2010, abrimos a Siluz Moçambique, seguindo a aposta no mercado africano que já vínhamos a fazer desde 2004. 2016, foi o ano de abertura do novo Centro de Distribuição indexado às nossas instalações no Porto (sede da empresa). Com uma área total de 10.000 m2 de área coberta, permitiu à empresa desenvolver a sua estratégia de melhoria de serviço para com os atuais e futuros clientes. Em 2017, começamos a preparar a digitalização do nosso negócio, já que o nosso setor passará, também, por esta mudança. É inevitável!

Quanto mais cedo nos prepararmos, mais rápido nos iremos sentir confortáveis neste “novo habitat”. Não se planeia falhas, mas falha-se em não planear.  Começamos por criar a nossa plataforma comercial, a loja online – www.electrosiluz.com – com o objetivo de facilitar a relação comercial com os nossos clientes, mantendo o serviço de excelência que nos caracteriza.

Mesmo neste contexto atípico, provocado pela pandemia, a empresa não deixou de concretizar o que estava previsto. Em maio de 2020 abrimos uma nova filial em Cacia – Aveiro, com uma nova imagem, com estacionamento privativo. Um armazém com 1800 m2 de área coberta, com mais de 80 m2 de exposição focada no cliente e com novos serviços essenciais para garantir a melhor experiência ao nosso cliente.  E em novembro reabrimos a filial do Amial após uma profunda renovação do espaço na mesma linha estratégica de imagem da que estamos a criar.

Já dizia o célebre físico e matemático Albert Einstein: “É na crise que nascem as invenções, as descobertas e as grandes estratégias. Quem supera a crise, supera-se a si mesmo.”

De que forma é que a empresa se adaptou no último ano ao contexto económico e social afetado por uma pandemia?

A pandemia e as questões relacionadas com a mesma foram, naturalmente, objeto de reflexão. Optámos por uma estratégia de motivação das nossas equipas para, em conjunto, ultrapassarmos este momento.  O lema foi claro – Continuar com a firme vontade de crescer, consolidando o que, até aqui, tínhamos conquistado, desenvolvendo novas oportunidades e procurando novas formas de chegar aos atuais e novos clientes.

Além disso, fomos dos poucos setores que, neste contexto pandémico, nunca parámos a nossa atividade. Sempre estivemos disponíveis para ajudar e apoiar todos os nossos clientes num momento tão difícil e incerto como o que vivemos.  A estratégia definida, a postura de motivação e a crença que poderíamos aproveitar o momento, fez-nos acreditar em vez de desistir.

Para conhecermos melhor a dinâmica empresarial da Electro Siluz, qual o atual posicionamento da empresa no mercado nacional e quais as principais novidades no que se refere à área de distribuição de material elétrico?

Atualmente a Electro Siluz procura ser uma das principais empresas do seu setor a nível nacional. Apostando, para isso, na capacidade de serviço, na confiança e no profissionalismo, não esquecendo nunca que a melhoria é um ato contínuo na vida das empresas.

A aposta em novos serviços de armazenagem, uma melhor e mais rápida distribuição, assim como, uma incessante procura de parceiros que permitam à empresa estar sempre na primeira linha de oferta de produtos e tecnologias, como por exemplo IOT e Smart Buildings. Que serão as principais novidades do nosso setor, tudo o resto se desenvolverá à volta do tema.

No que diz respeito ao mercado externo, qual a evolução da Siluz Angola e da Siluz Moçambique na última década?

A crise, a nível mundial, que se abateu no mercado de petróleo afetou, profundamente, alguns países, entre os quais se encontram Angola e Moçambique. Esta última década tem sido uma “batalha” nestes mercados e os nossos colaboradores que estão na linha da frente têm sido verdadeiros “guerreiros”, com muita resiliência.

Esperemos que na próxima década estes mercados se recomponham e que a retoma se concretize o mais rápido possível, pois são mercados muito importantes para a nossa estratégia de exportação.  Seria, também, muito importante um apoio mais amplo e mais profundo do nosso Governo aos exportadores, de forma a dinamizar a nossa aptidão nesta área.

Na sua opinião, o que distingue a Empresa da concorrência? Quais as mais-valias da empresa e de que forma se destacam no mercado?

Somos uma empresa familiar com 3 gerações no ativo, com uma postura na vida e na empresa muita característica. Os valores que respiramos, assim como a humildade de não esquecer o que fomos, permite-nos sonhar com o amanhã. Cada empresário tem a sua forma de ver e estar no mercado.

Num mercado tão pequeno como é o nosso tivemos de criar uma nova fórmula que pudesse atrair e fidelizar os clientes. Foi isso que sempre tentamos ao longo da vida da empresa. Oferta diferenciada, serviço e foco na satisfação do cliente.

Quais as perspetivas de futuro e projetos para a empresa?

Os projetos são claros e o caminho difícil, mas estamos a preparar-nos para o futuro. Aumentar e consolidar a nossa posição no mercado nacional, evoluir o melhor e mais rapidamente possível no mercado digital e profissionalizar toda a estrutura humana da empresa. O êxito ou o fracasso não dependem só das circunstâncias, mas sim da nossa atitude perante elas.

Assuntos pertinentes que não foram abordados nas questões anteriores que considere relevantes.

Não podemos deixar de agradecer a todos os colaboradores das 5 empresas do Grupo Siluz por toda a dedicação e empenho que sempre tiveram, principalmente neste momento de particular dificuldade, para todos eles o nosso sincero e profundo Obrigado.