Com mais de dez anos de atividade, a Excellens dispõe de um conjunto de profissionais com muita experiência em todas as áreas de engenharia. Nuno Santos, administrador da empresa, explica o sucesso e o fator de distinção da Excellens.

Nuno Santos e equipa Excellens - Portugal em Destaque
Nuno Santos e equipa Excellens

A Excellens dispõe de um conjunto de soluções integradas e que engloba todas as áreas de engenharia. Apresente a Excellens e revele os seus pilares de sucesso.

A Excellens, criada em 2007, dedica-se a serviços de engenharia integrados de projeto, fiscalização e consultoria. Os nossos serviços incluem todas as especialidades, sendo a gestão com a arquitetura feita desde o início. Os clientes têm o conhecimento do que vai ser construído, antes de acontecer. Em 2012, aderimos à Tecnologia BIM, Building Information Modeling, fundamental para integrar as especialidades de projeto.

Este ano estamos a desenvolver a primeira moradia Passive House, 100% 3D/BIM, para que o cliente perceba tudo o que a sua construção inclui e o que estará “escondido” nas paredes e tetos.

Outro dos projetos de 2021 é a requalificação de um mosteiro num hotel de 5 estrelas, no centro do país, em colaboração com o nosso parceiro de arquitetura.

Em 2017, certificamo-nos em Passive House Trades Person e Passive House Designer. O conceito permite atingir níveis de conforto e qualidade do ar muito elevados e muito baixos consumos energéticos, com performances superiores à “tradicional” certificação energética. Com a pandemia, fomos muito requisitados para aplicação deste conceito.

A engenharia contribui ativamente para a redução dos resíduos das construções e para a eficiência dos edifícios, como é o caso da união do conceito de fabrico Lean e do sistema de gestão da qualidade. Foi com este intuito que criou a Lean Constrution?

A Lean Construction nasceu em 2017, como um “desafio”, com um amigo que queria fazer umas obras e pediu ajuda. Posteriormente, entendi que podíamos dar um passo maior, começar a construir de raiz ou fazer intervenções de remodelação e reabilitação mais profundas. Contactei várias empresas de construção e instalações especiais. Começamos a gerir equipas, com base no pensamento Lean, otimizando tempos e materiais, para marcarmos a diferença e sermos valorizados no mercado.

A eficiência energética e dos edifícios são uma preocupação para os proprietários? Considera que empresas como a Excellens e a Lean Construction farão a diferença no combate às alterações climáticas?

Sim, os proprietários sabem o que querem e estão informados. Sabendo que as alterações climáticas, a reciclagem, o reaproveito e a redução da pegada ecológica estão na ordem do dia, entendemos que, ao otimizar soluções, reduzindo custos e consumos de água e energia, colocamos mais uma gota no oceano da responsabilidade ambiental.

Acredita que o mercado da construção continuará a crescer como se tem sentido nos últimos anos? A reabilitação e reconstrução de edifícios será um caminho para a sustentabilidade da habitação?

O crescimento não se manterá exponencial, terá de estabilizar e eventualmente descer. A pandemia trouxe preocupações em termos de salubridade e qualidade do ar, que antes não eram valorizadas. Foi aqui que o conceito Passive House nos destacou: quando explicado aos nossos clientes, não hesitam em aderir. A pandemia trouxe a vontade da “moradia”, as pessoas sentem-se mais “seguras” num espaço sem partilha, o que não acontece em apartamentos. A reabilitação e a reconstrução são um caminho para a sustentabilidade global do edificado, por redução de desperdício e reaproveitamento, de forma rigorosa no processo, sem remendos ou pensos rápidos, senão invertemos o processo.