Tendo como filosofia de vida a busca pela felicidade, a H2O – Holistic Happiness Organization procura que cada indivíduo trabalhe o autoconhecimento, para assim potenciar as suas capacidades em prol de si mesmo, das organizações e, em consequência, da sociedade e do mundo. Dália Ramalho é o rosto por detrás deste projeto e foi com ela que estivemos à conversa para conhecer um pouco melhor esta metodologia de desenvolvimento e de que forma pode ajudar pessoas e organizações a alcançar a felicidade.

Dália Ramalho
Dália Ramalho

Assume-se fascinada pelo desenvolvimento do potencial humano, ajudando pessoas e organizações a encontrarem o seu caminho para a felicidade. Porquê esta paixão e de que forma a levou a criar a H2O – Holistic Happiness Organization?

Foi o meu percurso de vida no seu todo que me levou a entrar no mundo do desenvolvimento pessoal. Vim de uma aldeia muito pequena e desde muito nova sentia que tinha de sair para o mundo, assim que pudesse. Hoje, sei que eram os meus valores basilares da independência e liberdade a falarem. Aos 18 anos vim para Lisboa licenciar-me no ramo de Administração e Controlo Financeiro. Comecei a trabalhar aos 22 anos de idade, num grupo de empresas internacional como responsável financeira e administrativa, e durante 16 anos passei a minha vida preocupada, exclusivamente, com o trabalho. A verdade é que quando nos esquecemos, ou quando ignoramos que a vida não se centra num único contexto, as consequências vão emergindo até ao ponto em que já não podemos ignorar mais. Em 2019, quando sai de uma empresa, na qual trabalhei seis meses, pensei: “Porquê insistir na área financeira? É agora a hora de mudar”. Decidi que era hora de deixar de ser o trabalho e começar a viver com o trabalho. Comecei a trabalhar em mim o autoconhecimento, apaixonei-me imediatamente pelo desenvolvimento pessoal e acabei por perceber a falta que fez no meu percurso profissional. Ainda em 2019, tirei o curso de formadora, inscrevi-me no curso de Estudos da Felicidade, em que o criador e professor é o Dr. Tal Ben-Shahar, e nunca mais parei. O ano de 2020 foi um ano em que observei atentamente o que se passava no mundo e em que me foquei nos meus objetivos e no que podia fazer para contribuir para um mundo melhor. Sou uma pessoa feliz e sei que posso e consigo ajudar as outras pessoas a serem também.

A H2O – Holistic Happiness Organization presta serviços nas áreas de Coaching com PNL, Psicologia Positiva, Inteligência Emocional, Consultoria e Formação. De que forma são estes segmentos essenciais para estimular a felicidade pessoal e a felicidade nas organizações?

A felicidade está sempre à nossa disposição e muitas vezes em coisas muito singelas. Se não tivermos consciência das suas caraterísticas e simplicidade, ela muito sorrateiramente nos foge das mãos. Nós somos o que pensamos, sentimos e fazemos, e o coaching é uma ferramenta de extrema utilidade para trabalhar exatamente pensamentos, emoções e comportamentos. Por isso, para viver uma vida feliz, temos de nos munir de técnicas estruturadas que nos ajudem a enfrentar, de forma eficaz e eficiente, os desafios com que a vida nos brinda. Se a felicidade é uma forma de estar na vida humana, ao aprendermos técnicas e aprendermos a sua estrutura, depois apenas necessitamos de mudar o conteúdo, e assim tornamo-nos resilientes e capacitados a abraçar o que nos aparecer com coragem e com as lentes da felicidade.

O coaching é um processo de transformação que trabalha a parte cognitiva, emocional e comportamental e que vai beber a uma serie de disciplinas que trabalham precisamente estas áreas da cognição, emoção e comportamento. O coaching e a psicologia positiva, naturalmente, são aliadas uma vez que ambas visam o desenvolvimento e crescimento no ser humano. Por sua vez, a ciência da felicidade é a psicologia positiva, pelo que para mim faz todo o sentido ser por via do coaching, formação e consultadoria, nos demais âmbitos, ajudar as pessoas a trazerem ao de cima toda a sua potencialidade. O coaching é assim um processo de mudança do local onde estamos agora (o ponto A) para onde desejamos estar (o ponto B). Esta atividade é desenvolvida com técnicas cientificamente embasadas e, quando bem estruturada e posta em prática, faz florescer e desenvolver todas as habilidades e competências. O meu propósito é ajudar as pessoas a se desenvolverem e serem felizes, o seu estado psicológico e o seu corolário físico são passiveis de serem potencializados e atingirem o alto desempenho que se traduzirá no final do dia em produtividade.

O ano de 2020 foi sinónimo de grandes desafios para pessoas e organizações. A pandemia do novo coronavírus e, consequentemente, os desafios emocionais que dela advieram, ressaltaram a importância do coaching na busca da felicidade?

Indubitavelmente. O coaching é inquestionavelmente um excelente serviço que pode ajudar tanto as empresas como as pessoas a fortalecerem-se e a criar, ou repor, a resiliência. A resiliência é um conceito que vem da física e refere-se à capacidade que os materiais têm de acumular energia quando submetidos à pressão e depois de absorver o impacto, voltarem ao seu estado original sem deformação, como se fosse um plástico. Resiliência não é rejeitar ou ignorar emoções desagradáveis, é sim não permitir que elas nos controlem. Hoje, mais que nunca, é necessário desenvolver as pessoas para que consigam restabelecer ou aumentar os seus níveis de felicidade, para que se sintam e sejam resilientes, para superar as adversidades sem serem afetadas pelas mesmas de forma permanente e negativa. Esta habilidade pode, e deve, ser desenvolvida. 

Mais do que nunca, os líderes das empresas, independentemente da sua dimensão, têm um papel fundamental nas organizações para motivarem a sua equipa. Penso que as empresas podem investir no desenvolvimento dos seus líderes para que, de uma forma mais eficaz e eficiente, ultrapassem obstáculos e consigam colocar os seus profissionais a trabalhar em equipa e a rumar para a superação e desenvolvimento.

Acredita que pequenas mudanças fazem uma grande diferença nas nossas vidas e nos tornam mais felizes. As mulheres portuguesas estão a mudar e assumem cada vez mais um papel preponderante na sociedade e nas empresas. Que mensagem gostaria de deixar a todas as mulheres que pretendem mudar o rumo da sua vida, arriscar e criar o seu próprio negócio?

Pessoalmente não faço distinção de género, no entanto tenho consciência que, nós mulheres, herdamos da história da humanidade alguns fardos que ainda são desafiadores. De forma geral as mulheres são abençoadas, fantásticas, lutadoras, e multitasking, mas não deixam de ser humanas. Um dos segredos da felicidade é a realidade. Aceitem a realidade, assumam a responsabilidade pela vossa vida, observem atentamente as oportunidades, ganhem coragem, desenvolvam-se e trabalhem muito. Sem nunca esquecer que para se produzir, é necessário recarregar baterias, recuperar. Da mesma forma que o trabalho é importante a recuperação também e, por vezes, é preciso parar, para arrancar. Vivam em congruência e com afinco e tudo vai dar certo. Se não der logo certo, retirem aprendizagens e sigam em frente. Procurem as ferramentas internas, elas fazem maravilhas.