Com o objetivo de produzir espetáculos de referência de Teatro Musical em Portugal, assim surgiu a Vivonstage, há 15 anos. Francisco Santos, diretor artístico e produtor, apresenta um crescimento de sucesso, que recentemente se materializou com a criação da Vivonschool, que nasce em plena pandemia, uma escola onde os atores e bailarinos transmitem toda a sua experiência de palco às gerações mais novas.

Francisco Santos, diretor artístico e produtor da ImpactCircle e Vivonstage
Francisco Santos, diretor artístico e produtor da ImpactCircle e Vivonstage

Com mais de 15 anos de experiência em Teatro Musical, a ImpactCircle – Vivonstage, já apresentou mais de 2000 espetáculos por todo o país. Apresente este projeto, do seu percurso até aos dias de hoje.

Nascemos há cerca de 14 anos com o intuito de produzir espetáculos de referência de Teatro Musical em Portugal. Com uma equipa jovem e dinâmica, o projeto foi crescendo natural e organicamente no Porto, onde é a nossa sede. Um dos projetos mais emblemáticos foi a adaptação da Crónica dos Bons Malandros a Musical em estreita colaboração com o autor do livro, Mário Zambujal, mas, entretanto, seguiram-se muitos outros: Peter Pan, Tarzan, O Principezinho, A Pequena Sereia, Espelho Meu, etc.

“Um Novo Amanhã” é o mais recente espetáculo que apresentam ao público. Como teve contacto com desta história?

Esta história surgiu através do contacto que mantenho com pessoas de Alvarenga há mais de 30 anos. Com o passar dos anos fui descobrindo esta história intrigante com detalhes fantásticos e desconhecidos do grande público, o que me motivou ainda mais a escrever este Guião. Um dos aspetos mais curiosos foi perceber como estes acontecimentos ainda influenciam toda a sociedade Alvarenguense em 2021.

Cartaz do musical Um Novo Amanhã
Cartaz do musical Um Novo Amanhã

Inspirado na II Guerra Mundial e no motim que aconteceu em Alvarenga, Arouca, em 1942, o musical “Um Novo Amanhã” baseia-se em acontecimentos reais. O que o motivou a contá-la pelos olhos de uma criança?

Talvez pela inocência e frontalidade próprias das crianças. Com um tema tão impactante como seja a II Guerra Mundial achei que seria o ideal. Evidentemente que existem muitos outros subtemas no espetáculo, mas, para mim, tornou-se clara essa opção desde o início. Devo acrescentar que não é apenas uma, mas duas crianças afastadas 2 mil quilómetros e que nos darão essas duas visões do mesmo acontecimento: uma está em Alvarenga e outra em Amsterdão. E mais não posso dizer…

Quando apresentou o seu projeto à comunidade Alvarenguense, qual foi a reação destes? A comunidade e instituições locais também vão participar?

A comunidade Alvarenguense abraçou e de alguma maneira apropriou-se deste projeto desde o momento em que foi apresentado. Contamos com a participação da Banda de Música e do Rancho de Alvarenga e a avaliar pelo entusiasmo com que encaram os ensaios com os nossos atores, irá ser emocionante. Aproveito para referir que o elenco de Um Novo Amanhã tem 20 atores para além dos músicos e elementos do rancho já referidos.

O musical “Um Novo Amanhã” tem data de estreia marcada para 15 de outubro, no Europarque, mas vai certamente viajar pelo país. Em que palcos e em que datas a poderemos encontrar?

Após o Europarque iremos pisar o palco do Teatro Sá da Bandeira no Porto, o Altice Braga Fórum, o Auditório de Olhão e finalmente o C. C. de Alvarenga onde faremos o fecho desta Tournée.

O projeto ImpactCircle cresceu com a Vivonstage e, entretanto, nasceu a ViVonSchool e a ViVonTech. Quando sentiu a necessidade de crescer estes projetos e em que consistem?

Estes projetos decorrem do tal crescimento orgânico que falava. A Vivontech coordena e gere toda a área técnica: equipamento, som, luz, vídeo. A Vivonschool nasce em plena pandemia, curiosamente, e é o futuro: uma escola onde os nossos atores e bailarinos transmitem toda a sua experiência de palco às gerações mais novas.

Andrea Graf diretora cena da ViVonstage

Como diretora de cena dos Musicais da ViVonStage e do “Um Novo Amanhã” quais foram os maiores desafios que encontrou para a recriação desta peça, uma vez que se passa nos anos 40?

O cuidado e precisão histórica na escolha dos figurinos e adereços envolve muito estudo e pesquisa para que seja o mais fiel à época descrita. Já a cenografia será retratada de uma forma realista/minimalista sendo complementada com projeções de vídeo.

Assume, para além deste cargo, a Direção Executiva da ViVonSchool. Apresente os desafios e conquistas que têm marcado o crescimento e sucesso desta Companhia.

O desafio da ViVonSchool nasceu da necessidade que sentimos em passar o nosso conhecimento e formação aos mais novos e futuros acores, bailarinos, músicos e técnicos.

Todos os dias atingimos novas conquistas na ViVonSchool, visto esta ser de e para os nossos alunos. Todas as pequenas dificuldades que ultrapassamos juntos são vistas por nós como conquistas, fazendo tudo parte do crescimento da ViVonSatge, porque estas crianças/jovens são o nosso “Um Novo Amanhã”.

Saiba mais sobre este espetáculo musical em

Impactcircle apresenta teatro musical: “UM NOVO AMANHÔ – Portugal em Destaque

Cartaz do musical Um Novo Amanhã
Cartaz do musical Um Novo Amanhã