Inês Sottomayor foi a primeira mulher em Portugal a dedicar-se ao coaching infantojuvenil

Inês Sottomayor, arquiteta de formação, trocou o seu atelier e, pelos filhos, procurou aprender diferentes formas de abordar as situações. Pesquisou, formou-se e tornou-se a primeira mulher, em Portugal, a dedicar-se ao coaching infantojuvenil.

Inês Sottomayor, formada em arquitetura, tinha o seu atelier e uma loja na LX Factory. Contudo, quando uma das suas filhas nasceu, a arquiteta sentiu necessidade de procurar ajuda para lidar com os desafios e situações que surgiram. Começou por pesquisar uma forma de restruturar a sua vida profissional, dar um novo rumo e voltar a motivar-se. Aprender a lidar com a família, a vida pessoal e o seu emprego. Encontrou o coaching e nasceu outra paixão. “Foi de tal forma transformador para mim que decidi fazer a certificação internacional em coaching”, explica Inês Sottomayor.

A experiência na área de coaching foi tão regeneradora que fez com que a arquiteta procurasse uma formação específica para crianças e adolescentes, que acabou por encontrar no Brasil e que, facilmente, a fez apaixonar-se. Estas formações são específicas para as crianças e para os jovens e tem em conta o neurodesenvolvimento, a parte cognitiva e os limites das crianças e adolescentes. Tornou-se, assim, a primeira pessoa e a primeira mulher a dedicar-se ao coaching infantojuvenil em Portugal.

Coaching infantojuvenil

O coaching, segundo Inês Sottomayor, é um processo prático, de muita ação, que depende da dedicação e do empenho da criança. Todas as ferramentas utilizadas durante as sessões são adequadas à idade da criança ou adolescente e tem sucesso, acima de tudo, em situações comportamentais. Neste sentido, este trabalho permite que os jovens identifiquem as suas habilidades e características, aprendam como as vão usar e a valorizar o que os caracteriza. Perante uma situação, leva a criança ou adolescente a perceber que se agir de uma maneira diferente, esta ação traduzir-se-á, também ela, num efeito diferente nos outros. O coaching permite que eles desenvolvam confiança e auto estima, através da autorresponsabilidade e mostrando que essa responsabilidade não é um peso.

Inês Sottomayor alerta que é necessário verificar que não existe nenhuma perturbação, problema de desenvolvimento ou trauma no jovem. Se disso se tratar, a criança deve ser encaminhada para um terapeuta e o trabalho com o coach pode ser complementar.

“Eu vejo o coaching como uma estrutura, que vai sedimentar, solidificar e criar as fundações de uma família e mostrar-lhes quais são os valores e como é que estes podem ser transmitidos”, remata a arquiteta de sonhos.

O coaching deve ser realizado, de preferência, presencialmente. Eventualmente, podem decorrer sessões à distância, mas apenas para pais ou adolescentes. Os serviços de Inês Sottomayor podem ser encontrados no seu website e redes sociais. Os contactos disponibilizados são os da própria. “Basta ligar e fala diretamente comigo”, explica.

Inês Sottomayor contactos

Agora, a arquiteta de sonhos está a promover a formação. De 11 a 14 de novembro, a formação em Kids Coaching, lecionada por Inês Sottomayor, vai ter lugar, presencialmente, na cidade do Porto, sendo que já este ano se realizaram duas em Lisboa.

No início deste ano, Inês Sottomayor decidiu expandir a área de coaching infantojuvenil em Portugal com a criação da Associação Portuguesa de Coaching Infantojuvenil – APCIJ. Com este projeto, a arquiteta pretende regulamentar a profissão de coach e criar um programa uniforme, em que qualquer um dos associados pode ir às escolas promover a formação. Assim, aspira criar uma comunidade de apoio e trabalhar com outras instituições de solidariedade.

A arquitetura

Inês Sottomayor revela que a arquitetura desempenhou um papel fundamental na sua vida. Permitiu desenvolver um pensamento mais estratégico, deu-lhe capacidade para criar, imaginar e fê-la acreditar que é possível construir algo a partir do zero. Desta forma, apelida-se “arquiteta de sonhos”, porque ajuda a família a alcançar os objetivos que antes apenas estavam imaginados. “No fundo, a arquitetura também é isso está só lá para colocar no papel as coisas que as pessoas imaginavam”, acrescenta Inês Sottomayor.

Embora a arquitetura tenha aberto muitas portas na sua vida, como a possibilidade de conhecer o seu marido, Inês abandonou completamente a área e há cerca de quatro que apenas se dedica ao coaching infantojuvenil.

A mulher líder

Inês Sottomayor admite que a mudança de carreira e o recomeçar foram experiências assustadoras, mas que o que mais teve impacto na sua vida foi a utilização das redes sociais, uma vez que antes nunca se tinha exposto numa plataforma online. Contudo, aceita os desafios como uma coisa boa. “Quando sentimos que é algo que faz parte da nossa essência uma pessoa nem olha para trás, parece que tudo está alinhado”, remata.

A arquiteta considera que, em termos institucionais, ainda é difícil esta visão de equilíbrio entre vida profissional e pessoal, principalmente neste lado mais feminino e da parentalidade, por isso existem resistências no mundo empresarial, nomeadamente na apresentação em empresas de projetos relacionados a este âmbito. Também, em algumas famílias, a profissional teve dificuldade devido ao ceticismo por parte da figura paternal masculina. “A mulher do mundo corporativo é quase vista como um homem, no sentido em que tem de ter outra apresentação, outra postura, muito mais fria, muito mais rígida e eu não sou nada disso”, explica a arquiteta de sonhos.

Inês Sottomayor acredita que para uma mulher ser bem-sucedida não necessita de abdicar de ser mãe, amiga ou de ser mulher e cuidar dela própria. O esforço e o equilíbrio são essenciais, nem sempre sendo fácil, é possível ter tudo. Por fim, a arquiteta afirma que o maior investimento que cada um pode fazer é nos filhos e na família. Nesse sentido, “aproveitem, dediquem-se, encontrem esse equilíbrio e olhem para os vossos filhos a acreditar que eles conseguem”.

Inês Sottomayor foi a primeira mulher em Portugal a dedicar-se ao coaching infantojuvenil
Inês Sottomayor