José Ferreira Pinto - Procalçado - Portugal em Destaque

José Ferreira Pinto começou a trabalhar na idade dos sonhos, tinha 10 anos e o brilho que ainda hoje lhe descobrimos num olhar entusiasmado de quem continua a traçar planos para o futuro. Com um percurso marcado pela ousadia e pela sua coragem, em 1973 criou o seu próprio negócio e nunca mais parou. Hoje a Procalçado, empresa que fundou, é uma referência mundial da indústria do calçado e um dos rostos da renovação da indústria portuguesa de calçado.

Chama-se Procalçado, está sedia em Pedroso, Vila Nova de Gaia, e é uma empresa onde a qualidade do produto se avalia com solas bem assentes no chão. Para poder comprar “um carrinho de duas rodas”, José Ferreira Pinto criou a própria empresa. Hoje é um dos maiores produtores europeus de componentes para calçado e calçado moldado, que nos últimos anos se notabilizou por lançar duas marcas de calçado, a Wock, para o mercado profissional, e a Lemon Jelly, que se concentrou no mercado de moda.

Mas esta empresa não se resume apenas à sua produção e aos seus produtos, e para se conhecer melhor a Procalçado, temos de conhecer o seu fundador e Presidente, José Ferreira Pinto, ou Senhor Pinto, como é carinhosamente tratado por toda a sua equipa.

A história do seu percurso começa em 1941, quando chega ao mundo, na Freguesia de Lobão, em Santa Maria da Feira, no seio de uma família humilde. José Ferreira Pinto, o sexto de dez filhos, desde cedo aprendeu, os valores da seriedade, honestidade, ousadia e trabalho, que o conduziram a ser um dos impulsionadores da indústria do calçado em Portugal. Foi trolha e pedreiro, ainda antes de terminar a quarta classe. Aos 12 anos decidiu que queria aprender a arte da carpintaria, seguindo as pisadas do seu pai. Aos 16 anos já era encarregado de uma pequena oficina. “O que não sabia, tratava de experimentar até aprender”, sublinha.

No entanto, foi na tropa, como instrutor, que mais aprendeu, onde abriu horizontes do mundo e para o mundo. Munido de coragem, José Ferreira Pinto não se tornara apenas militar durante este período, tornar-se-ia o homem capaz de enfrentar o seu caminho, sem nunca hesitar ou olhar para trás. Hoje acredita que a coragem nasce com cada um, mas não esconde a emoção ao falar do pai e da mãe, as suas bases enquanto pessoa, e que sempre lhe transmitiram os valores que considera fundamentais como o sentido do dever, a honestidade, a força do trabalho e a humildade.

Ao terminar o seu percurso militar, foi no polo industrial de São João da Madeira que procurou emprego, na então Empresa Industrial de Chapelaria, um passo preponderante para todo o sucesso que ainda desconhecia que fosse ter. Neste trabalho aprendeu a fazer solas. Rapidamente passou para o trabalho comercial, onde corria o país inteiro como comerciante, à procura de novos clientes. Apenas dez anos depois, decidiu que era tempo de criar a sua própria aventura e trilhar o seu próprio caminho.

Acreditando que “ao homem nada é impossível”, em 1973 cria a For Ever, onde começa a comercializar solas de calçado. Em 1984, estabelece-se em Pedroso, nos Carvalhos, em Vila Nova de Gaia, para criar a Procalçado. Visionário e certo da qualidade que tinham as solas que produzia, aventurou-se no mercado externo, convicto de que, se Portugal podia exportar sapatos, também poderia, de igual forma, exportar componentes. Mesmo sem saber falar qualquer língua estrangeira, fez as suas malas e partiu à conquista da Europa. Inglaterra, Itália, França, Rússia… rapidamente conquistava clientes pela Europa fora. Hoje, dos mais de cinco milhões de solas que produz ao ano, exporta quase tudo e direta ou indiretamente, em Portugal, ajudou a consolidar o setor do calçado.

Quando criou o projeto, José Ferreira Pinto estaria longe de imaginar chegar a este volume de negócios e, ainda que, desconhecendo aspetos detalhados da indústria, da economia, de gestão ou da contabilidade, nunca baixou os braços, era autodidata e aprendia todos os dias. Cada dia era um dia de labuta, de trabalho e de foco no seu negócio, na sua equipa, sem esperar construir um império – no fundo, José Ferreira Pinto “só queria trabalhar”.

Neste trajeto, nem tudo foi um mar de rosas. Nesta história de sucesso também existiram amarguras e dissabores. No final da década de 80, com a primeira intervenção do FMI em Portugal, o risco de falência da Procalçado era uma realidade. Do sucesso ao insucesso, a distância era menos que nada. Mas este seria apenas um percalço no destino que trilhava, afinal de contas, nunca baixara os braços, manteve o arrojo e a ousadia, que o caracterizam enquanto empresário, para criar soluções. Redefiniu estratégias e objetivos e vendeu a sua casa na Foz do Douro, para ultrapassar este pequeno contratempo e fazer de um momento de fragilidade, uma forma de fortalecer a sua empresa. Este foi, para José Ferreira Pinto, um dos momentos mais importantes no seu percurso enquanto empresário.

Com a criação da Procalçado potenciaram-se a criação de novas áreas de negócio, e o grupo começou a produzir calçado injetado em pvc. Uma forma de potenciar o know how que já tinha na área da injeção, com as solas, e de diversificar os negócios sem entrar em concorrência direta com os seus clientes. Com a entrada da segunda geração na empresa, mais propriamente de José Pinto, aos seus 25 anos,as novas ideias continuaram a fervilhar. O trabalho prosperava, a empresa continuava a crescer e, em 2005, nasce a Wock, no calçado profissional, com produtos especializados para as áreas da saúde e da hotelaria, entre outros. Três anos depois da sua génese, começa a exportar. Em 2013, veio a aposta na moda, com o lançamento da Lemon Jelly, uma das mais conceituadas marcas portuguesas além-fronteiras. Hoje, quase 50 anos depois de iniciar o seu trajeto, José Ferreira Pinto é uma referência na indústria do calçado, e a sua empresa é um pequeno império, que todos os dias leva a vários cantos do mundo, o que de melhor se faz em Portugal. Quanto ao futuro, o empresário não tem dúvida de que o filho, que lhe partilha o nome e a gestão da Procalçado, lhe dará a devida continuidade, até porque o acompanha já neste desafio há 25 anos. “O futuro está assegurado, o projeto fica bem entregue”.

Neste percurso, muitas histórias ficam por contar. O foco no trabalho foi uma constante, mas neste homem, que também ele é José, cabe mais que muitas histórias. O Senhor Pinto, como está habituado a ser chamado na sua empresa, fez da sua equipa de trabalho a sua família, e esse, talvez tenha sido um dos segredos do seu sucesso, por isso, e muito mais, sublinha que “tudo depende de se ter a atitude e a postura certa”.

Hoje, com 80 anos, José Ferreira Pinto é o Presidente da Procalçado e todos os dias se apresenta ao trabalho. Em José, trabalhar e viver são sinónimos, é do trabalho que nasce a sua jovialidade e a vitalidade com que continua a sonhar. Humildemente garante: “ainda me divirto a trabalhar, é isto que sei fazer”.

80 anos de uma vida cheia de histórias               

José Ferreira Pinto tem a elegância de quem veste a alma com as melhores roupas, feitas de coragem e ousadia. Sempre carismático comemorou, no passado mês de novembro, o seu 80º aniversário e assume-se, humildemente, como sendo um homem com coragem e paixão pela vida. Conhecido por ser um dos impulsionadores da indústria do calçado em Portugal juntou à mesa da Real Companhia Velha, mais de 500 pessoas, entre elas amigos de uma vida, família, parceiros, colaboradores e figuras ilustres como Eduardo Vítor Rodrigues, Presidente da Câmara Municipal de Gaia, e Filipe da Silva Lopes, presidente da União de Freguesias de Pedroso e Seixezelo. Esta noite de festa foi repleta de surpresas e emoções, contemplou, ainda, o lançamento do segundo livro do aniversariante, intitulado “Ferreira Pinto também é José. Um líder [também] é pessoa”, da autoria de Elsa Almeida e Sofia Fonseca. Relativamente à obra, o empresário sublinhou que “foi um trabalho intenso, bonito e de muita coragem na partilha. Quis este livro para ficar um testemunho, para os que me sucedem, me acompanham e me completam”.

Depois da apresentação da obra e vida do empresário, os convidados foram contemplados com um gracioso jantar que se seguiu do momento das intervenções, que homenagearam o aniversariante, e que foi inaugurado por Eduardo Vítor Rodrigues, presidente da Câmara Municipal de Gaia, que fez questão de marcar presença, na condição de amigo, admitindo que considera José Ferreira Pinto, “um dos mais visionários empresários vivos da nossa região e, naturalmente, do nosso concelho” e anunciando que o aniversariante vai receber a terceira Chave da Cidade de Vila Nova de Gaia, “a maior homenagem de todas no nosso município”, “pela sua personalidade, pela sua forma de estar, pela sua dedicação aos outros, por ser, ao mesmo tempo, um empresário de sucesso e alguém que não se esquece do trabalhador mais indiferenciado da empresa, por ser uma pessoa que considera os seus colaboradores parte do sucesso e da sua própria família”.

Esta cerimónia contou ainda com a mais surpresas, assim como momentos de música e poesia proporcionados pela harpista Rebeca Csalog e o artista Pedro Lamares e terminou em pleno, com a performance de Herman José, que surpreendeu todos os convidados.  

Fundação ForEver

O mote do seu segundo livro não surge por acaso, e porque um empresário também é pessoa, José Ferreira Pinto sempre mostrou ter um lado humano fora do comum. Essa é uma das razões que levou o fundador da Procalçado a criar a Fundação ForEver, na qual irá integrar os projetos solidários em que já está envolvido, como o Pony Club do Porto, que promove a equitação terapêutica para crianças com necessidades educativas especiais, e muitos outros que está ainda a estudar, como a atribuição de bolsas de estudos e iniciativas semelhantes. “O Pony Club do Porto foi o início de uma obra de solidariedade social, que ainda não vejo como terminada. Enquanto me for possível, será sempre o meu objetivo fazer o bem, contribuir para uma sociedade melhor e, por isso, a criação recente de uma Fundação For Ever é a continuidade do meu caminho. Pretendo contribuir para fazer algumas famílias mais felizes, cuidar dos que precisam do abraço de José, que quer ter o prazer de dar de si e de partilhar parte do que tem, para ajudar a fazer melhores pessoas”, referiu Jose Ferreira Pinto durante o evento de comemoração do seu 80º aniversário.

Caixa

Nesta trajetória de histórias, resumidas no livro “Ferreira Pinto também é José. Um Líder [também] é Pessoa” há pessoas a quem José Ferreira Pinto muito agradece não apenas pela ajuda fundamental que deram na conceção do livro, mas também pela forma como o fizeram e como o escreveram. Elsa Almeida e Sofia Fonseca são as responsáveis por esta obra que mostra para além do homem empresário, e expõe José Ferreira Pinto enquanto pessoa – foi nas suas qualidades humanas que sustentou o seu sucesso enquanto empresário.

Livro de José Ferreira Pinto
Livro de José Ferreira Pinto

Elsa Almeida nasceu em dezembro de 1982, em Carregosa. É de Vale de Cambra, mas vive atualmente em Vila Nova de Gaia. É professora de coração, onde cabem outras paixões: a teologia é uma delas, mas também o futebol, a música, o cinema, a literatura, a fotografia, a culinária. Afirma ser portista por bênção e enquanto contadora de estórias vinca o quanto se diverte a fazê-lo e o quanto realizada se sente ao escutar e narrar histórias. Sofia Fonseca nasceu em dezembro de 1988, em Vila Nova de Gaia. É apaixonada por pessoas e pela comunicação. Foi na Universidade do Porto que se fez mestre em Psicologia, em Economia e em Gestão de Recursos Humanos. Faz do conhecimento a sua maior arma para vincar enquanto profissional. Aliás, é na sua profissão também multifacetada, reparte-se entre os recursos humanos e a psicologia clínica. Adora dançar, viajar, conversar e artes, do cinema ao teatro. Fascinada pela língua portuguesa é nas palavras onde retira detalhes, gosta de as ler, escrever e oferecer, por isso, os livros são as suas maiores relíquias e as cartas o seu mais valioso património.