Funcionalidade e criatividade ao serviço da arquitetura

Michele Renda – CEO NINE FINGER

As Tiny Houses surgiram nos Estados Unidos da América, mas já há quem as faça em Portugal, como é o caso da Nine Finger Technologies & Home Design. Em entrevista, Michele Renda reconhece que a otimização do espaço é o grande desafio. Para isso, aposta num conceito onde funcionalidade e criatividade são o segredo.

Unir inovação, funcionalidade, estética e conforto é o grande desafio por detrás da conceção de uma Tiny House. Como são concebidas e estruturadas estas casas de reduzidas dimensões?

Na Nine Finger Technologies & Home Design todos os projetos partem do estudo do comportamento solar que, no fundo, é a chave para o arranque do Design de Interiores, da Engenharia de Iluminação e da Arquitetura Inteligente. A partir desse ponto, procuramos o equilíbrio entre as necessidades da habitação, do cliente, do mercado e da eficiência energética. Com as Tiny House não é diferente. Os projetos que concebemos destacam-se por serem casas completamente funcionais, luminosas, muito bem dimensionadas, com muito glamour e tecnologia. O principal desafio prende-se com a dimensão reduzida dos espaços, que apesar de pequenos devem ser funcionais e conseguir satisfazer as necessidades dos moradores, mas também ter a capacidade de receber visitas. Assim, apostamos em elementos estéticos e funcionais, capazes de transformar um espaço, como é o caso do painel de madeira, desenhado pela Nine, que para além de tornar o hall de entrada mais espaçoso e glamouroso, graças a um jogo criativo de iluminação, oculta a zona íntima da casa. Um outro exemplo interessante de funcionalidade é o sofá da sala de estar. Desenhada pela Nine, esta peça tem a particularidade de ter um encosto e braços mais largos, que o usual, que podem servir de apoio a objetos do dia a dia, ou de assento para visitas pontuais. A cozinha, por sua vez, conta com uma porta em fole que permite transformar o open concept e criar um espaço isolado e completamente funcional. No que à iluminação diz respeito, optamos por Wall Washers que conferem um efeito washlight perfeito e homogéneo. Em termos de arquitetura inteligente o design foi concebido para a integração de uma estação meteorológica capaz de controlar mais eficientemente ganhos ou perdas térmicas. Todo este conceito, que foi concebido pela Nine Finger Technologies & Home Design de forma a tornar o espaço funcional e prático, é acompanhado de fotorrealismo que proporciona ao cliente uma visão mais clara e realista de como ficará o projeto final.

A Nine Finger Technologies & Home Design acompanha todos os projetos com fotorrealismo. Fale-nos um pouco mais deste serviço.

Enquanto que uma fotografia tem a função de ilustrar algo que já existe, o fotorrealismo tem como objetivo ilustrar uma ideia ou um modelo que ainda não existe, como se fosse real. Este processo permite obter, a partir de um modelo tridimensional elaborado no computador, uma imagem artificial, mas muito realista. Esta ferramenta auxilia várias etapas do processo como o estudo volumétrico, o estudo das fachadas e espaços internos, a definição de detalhes como a iluminação, texturas, reflexos, ou até mobiliário e peças decorativas. Enquanto que os projetos 3D deixavam espaço para a imaginação, os projetos acompanhados de fotorrealismo, são mais claros e imediatos. O fotorrealismo, afigura-se assim uma importante ferramenta para que o cliente consiga visualizar todo o tipo de projetos, independentemente da sua dimensão, de forma clara e realista.

Principais vantagens do fotorrealismo

Para o cliente

  • Emerge numa espécie de realidade virtual onde tem, desde início, uma visão realística de como ficará o projeto final.
  • Pode acompanhar todo o processo, intervir, propor alterações e participar ativamente no projeto.

Para os profissionais

  • O risco de erros estéticos ou de medidas acaba sendo reduzido graças à verificação completa do projeto que envolve o estudo dos materiais, bem como das cores, ou até da luminotécnica.

Permite ilustraros materiais escolhidos de forma detalhada, através de imagens com vários ângulos, ou exibir o projeto com diferentes tipos de iluminação.

Conceito Tiny House chega à Quinta do Lago

Michele Renda - CEO NINE FINGER
Michele Renda – CEO NINE FINGER

Com formação em Engenharia Elétrica e Eletrónica e com mais de uma década de experiência profissional em domótica, Michele Renda rapidamente se apercebeu da ausência de uma correta integração de inovações tecnológicas com os restantes universos particulares que constituem o mundo da construção, criando assim a Nine Finger Technologies & Home Design. Foi com ela que conversámos para conhecer um pouco melhor este projeto inovador e de que forma veio revolucionar o modo como pensamos a nossa casa.

Podemos começar por conhecer um pouco melhor a mulher por detrás deste projeto e as motivações para o criar, bem como da forma que foi traçando o seu percurso profissional.

A minha formação superior é em Engenharia Elétrica e Eletrónica e acumulo mais de uma década de experiência em domótica. A verdade é que, sempre que ia programar casas e que concluía o comissionamento de uma instalação, não conseguia deixar de imaginar cenários mais úteis, práticos e funcionais do que aqueles que estava limitada a conceber. Sentia que não conseguia dar o maior rendimento à instalação, por esta não estar pensada de antemão, ou seja, sentia que faltava design de interiores. A par disso, sentia também a necessidade de aplicar criatividade e bom gosto à engenharia e isso, invariavelmente, necessitaria, de antemão, de um bom projeto de design de interiores, consciente de todo o potencial da engenharia. Paralelamente, decidi começar a estudar o mercado imobiliário e facilmente entendi que, apesar de vasto, era pobre. Percebi que um potencial comprador dificilmente conseguiria imaginar um lar naquelas casas, nem teria noção do custo dessa transformação. Foi então que surgiu a ideia de fazer remodelações virtuais, que permitissem ao potencial cliente conseguir imaginar aquele imóvel, como a sua futura casa e como um investimento saudável.  

A toda esta vontade de fazer mais e melhor, juntou-se a grande paixão que sempre tive por design de interiores. Foi então que decidi arriscar e criar a Nine Finger Technologies & Home Design, em 2018, que me permitiria, finalmente, dar criatividade e bom gosto à engenharia, como sempre sonhara. A verdade é que decorridos três anos, o balanço não podia ser mais positivo.

Podemos começar por conhecer um pouco melhor a mulher por detrás deste projeto e as motivações para o criar, bem como da forma que foi traçando o seu percurso profissional. A minha formação superior é em Engenharia Elétrica e Eletrónica e acumulo mais de uma década de experiência em domótica. A verdade é que, sempre que ia programar casas e que concluía o comissionamento de uma instalação, não conseguia deixar de imaginar cenários mais úteis, práticos e funcionais do que aqueles que estava limitada a conceber. Sentia que não conseguia dar o maior rendimento à instalação, por esta não estar pensada de antemão, ou seja, sentia que faltava design de interiores. A par disso, sentia também a necessidade de aplicar criatividade e bom gosto à engenharia e isso, invariavelmente, necessitaria, de antemão, de um bom projeto de design de interiores, consciente de todo o potencial da engenharia. Paralelamente, decidi começar a estudar o mercado imobiliário e facilmente entendi que, apesar de vasto, era pobre. Percebi que um potencial comprador dificilmente conseguiria imaginar um lar naquelas casas, nem teria noção do custo dessa transformação. Foi então que surgiu a ideia de fazer remodelações virtuais, que permitissem ao potencial cliente conseguir imaginar aquele imóvel, como a sua futura casa e como um investimento saudável. A toda esta vontade de fazer mais e melhor, juntou-se a grande paixão que sempre tive por design de interiores. Foi então que decidi arriscar e criar a Nine Finger Technologies & Home Design, em 2018, que me permitiria, finalmente, dar criatividade e bom gosto à engenharia, como sempre sonhara. A verdade é que decorridos três anos, o balanço não podia ser mais positivo. A Nine Finger Technologies & Home Design dá uma nova dimensão aos projetos através de uma visão holística de serviços, combinando os diferentes saberes do design, arquitetura e a engenharia com a inovação da tecnologia. Atualmente, quais os serviços disponíveis ao mercado? Atualmente, a Nine Finger Technologies & Home Design tem disponíveis os serviços de Home Design, Engenharia de Iluminação e Arquitetura Inteligente, que se fundem harmoniosamente. Fruto da minha experiência profissional e da experiência que adquiri no terreno, apercebi-me que, na área da construção, existe muita coordenação entre o construtor e o arquiteto, mas que o mesmo não acontece no que toca às especialidades. Esta falta de coordenação, resulta muitas vezes em falhas no projeto final. Na Nine Finger Technologies & Home Design isso não acontece, porque os nossos serviços funcionam em conjunto, como se de uma orquestra se tratasse. Os nossos projetos resultam de uma visão holística dos serviços que combinam três grandes saberes, design, arquitetura e engenharia, com a inovação tecnológica. Este ‘casamento’ perfeito entre os nossos serviços, permite-nos desenvolver projetos ‘chave na mão’. A Nine Finger Technologies & Home Design é, atualmente, capaz de realizar desde a elaboração do projeto até à obra final. Para além disso, todos os projetos desenvolvidos pela Nine Finger Technologies & Home Design são acompanhados de fotorrealismo, que permite ao cliente perceber de forma mais real como o projeto vai ficar. Este serviço que prestamos faz toda a diferença, porque permite mostrar pormenores como o lighting design de uma forma muito realista e eficaz que transporta o cliente, automaticamente, para dentro daquele espaço. Atualmente, a Nine Finger Technologies & Home Design encontra o seu nicho de mercado região do Algarve, no entanto, um dos objetivos para o futuro próximo será alargar o raio de atuação e estender os nossos serviços ao resto do país com produtos complementares. Na Nine Finger Technologies & Home Design, deixou-se de utilizar o termo domótica para a utilizar o termo arquitetura inteligente. Quais as principais diferenças entre ambas e qual a mais-valia da aposta em arquitetura inteligente na criação de espaços mais sustentáveis? A domótica permite integrar controlar os equi¬pamentos/sistemas elétricos. A arquitetura inteligente é quando usamos essa integração (dos diferentes sistemas elétricos na domótica), pensada de forma a criar ambientes saudáveis, energeticamente eficientes e confortáveis. Por outro lado, são sistemas transparentes aos olhos dos utilizadores, onde a intervenção deste último é mínima no controlo do ambiente do espaço. A Nine Finger Technologies & Home Design destaca-se também no mercado por desenvolver projetos sustentáveis, harmoniosos, que pensam na solução como um todo e de acordo com as necessidades, gostos e sonhos dos clientes… Na Nine Finger Technologies & Home Design conseguimos desenvolver projetos que vão de encontro aos gostos, mas também às especificidades de cada cliente, seja em relação à sua ocupação profissional, ou até à sua condição física. Já concretizámos projetos de espaços que se conseguiram adaptar a diferentes cenários, como é exemplo o que estamos a desenvolver, neste momento, para uma clínica. De facto, existem diversas tecnologias que nos permitem ir de encontro, não só aos gostos e sonhos dos clientes, mas também às necessidades específicas de cada um deles. Não nos podemos esquecer que a tecnologia tem de ser desenhada, pensada e dimensionada a pensar nos utilizadores dos espaços, e que tem que ser, efetivamente, útil. Para isso, primeiramente, procuramos saber quais são as necessidades do cliente, os seus gostos, os seus sonhos, mas também o que o mercado pede. Procuramos que todos estes aspetos sejam tidos em atenção para que o cliente veja este investimento, como um investimento racional que, para além de ir de encontro às suas necessidades específicas, vai também de encontro ao que o mercado pede na atualidade. O futuro passa, cada vez mais, pelo equilíbrio entre o individual e o conjunto, a técnica e a estética? Sim, sem dúvida. Não podemos nunca fazer uma descomunhão entre técnica e estética, porque isso é o principal problema que temos atualmente. Quando pensamos no design, temos que pensar que este vai exigir determinado tipo de equipamento para que a casa seja sustentável, confortável e que tenhas as condições necessárias. De facto, estética e técnica, têm de caminhar lado a lado. Deve existir uma harmonia entre estética e técnica, assim como deve existir entre o individual e o conjunto. Temos de olhar para as coisas individualmente, mas sem descurar a forma como funcionam em conjunto, como um todo. Exemplo disso mesmo, são os projetos desenvolvidos pela Nine Finger Technologies & Home Design em que existe harmonia e fluidez entre o espaço exterior e o interior. Hoje, cada vez mais, a tecnologia deve estar ao serviço da arquitetura, engenharia e construção? Quais os principais benefícios da sua aplicação? Sim, é indispensável a todos os níveis. Hoje em dia, não pensar em construir uma casa com tecnologia é o mesmo que pensar em produzir carros sem vidros elétricos. Até mesmo em termos energéticos, a tecnologia consegue apresentar soluções que contribuem para o aumento da eficiência energética das habitações. Todos sabemos que nem sempre é possível construir, por exemplo, uma habitação com a orientação ideal e nesses casos, a tecnologia consegue colmatar essas pequenas características e tornar a casa mais eficiente e sustentável. É inegável que a tecnologia vai, cada vez mais, fazer parte das habitações no futuro. Acredito que as pessoas já começam a compreender a importância das casas serem devidamente pensadas quando construídas, de modo a que sejam funcionais e mais sustentáveis. Hoje a atitude mais inteligente é optar por uma arquitetura, também ela, inteligente. A pandemia mudou a forma como se ‘vive’ em casa. As horas passadas dentro de casa, durante o confinamento, levaram as famílias a priorizar determinadas características que até então não eram tão solicitadas? De facto, a pandemia veio dar-nos uma visão diferente da nossa casa. O facto de passarmos mais tempo confinados aos diferentes espaços que compõem a nossa habitação, pode ter despertado a atenção de algumas pessoas em relação a determinados aspetos. Sinto, sobretudo, que, hoje em dia, as pessoas estão mais preocupadas em sentir que têm um ambiente mais saudável dentro de casa. Esse é de facto o aspeto que penso que está a ser mais tido em consideração. Curiosamente, esta já era uma preocupação da grande maioria dos clientes da Nine Finger Technologies & Home Design que, paralelamente a isso, têm também duas características muito interessantes. A primeira tem que ver com a preocupação com a iluminação natural, a segunda com a diferenciação. Os nossos clientes gostam de casas com personalidade. As Tiny Houses vieram para ficar. São cada vez mais as pessoas que optam por estas casas pequenas que combinam inovação, funcionalidade, conforto e muita criatividade. Esta já é uma realidade também para a Nine Finger Technologies & Home Design? Sim, já é uma realidade na Nine Finger Technologies & Home Design e, neste momento, temos já dois projetos pioneiros em plena Quinta do Lago onde, em 38 metros quadrados conseguimos criar dois apartamentos completamente funcionais, luminosos, muito bem dimensionados, e com muito glamour e tecnologia. Estes projetos são sempre muito desafiantes e exigem muita criatividade. O principal desafio prende-se com a dimensão reduzida dos espaços, que apesar de pequenos devem ser funcionais e conseguir satisfazer as necessidades dos moradores, mas também ter a capacidade de receber visitas, por exemplo. As Tiny Houses que estamos a desenvolver são por si só um enorme desafio, desde logo pelo facto de termos conseguido trazer este conceito para a Quinta do Lago, o que é algo inovador e pioneiro. De ressalvar que, apesar de estarmos a falar de Tiny Houses, estes projetos, à semelhança do que estamos habituados a ver na Quinta do Lago, são projetos de luxo em que todo o conforto e funcionalidade estão assegurados. Na sua opinião, o que tem motivado a crescente procura por Tiny Houses? Muitas pessoas estão a apostar cada vez mais no estilo minimalista, sem grandes consumismos. Esse é sem dúvida um dos grandes motivos que tem levado à procura das Tiny Houses. Por outro lado, hoje, cada vez mais, as pessoas, ou porque estão mais focadas no trabalho, ou por opção própria, optam por viver mais ‘solitárias’. Ora, as Tiny Houses conseguem satisfazer na perfeição as necessidades de conforto e de espaço nesses casos. Para além disso, o facto de serem habitações pequenas, aconchegantes e com um conceito inovador, acabam por despertar o interesse das pessoas. Não nos podemos esquecer que, apesar das suas dimensões reduzidas, as Tiny Houses permitem-nos implementar as mesmas tecnologias e funcionalidades que uma casa de maiores dimensões, por isso, acaba por ser a escolha de grande parte das pessoas que procuram conforto, tecnologia e funcionalidade, mas que não necessitam de um espaço de grandes dimensões. O início de um novo ano traz consigo novas oportunidades. O que podemos esperar da Nine Finger Technologies & Home Design no futuro? Apesar de 2020 ter trazido consigo inúmeros desafios, que afetaram milhões de empresas por todo o mundo, a Nine Finger Technologies & Home Design não sofreu o impacto trazido pela pandemia, tendo, inclusive, conseguido crescer. Esse será sempre o nosso principal objetivo, crescer e continuar a prestar um serviço de qualidade a todos os nossos clientes. A par disso, no futuro, gostaríamos de expandir os serviços complementares da Nine Finger ao resto do país. É um desejo que temos e que gostaríamos de concretizar num futuro próximo. 2021 será também o ano em que iremos apostar na área IoT, e em que iremos desenvolver mais uma Tiny House, desta vez em Albufeira. Este vai ser um projeto muito engraçado, interessante e desafiante. Por último, acredito que 2021 ficará sobretudo marcado por muita criatividade, muita inovação, muita diversão e surpresa, sempre, como não poderia deixar de ser, com um toque de tecnologia.
Michele Renda – CEO NINE FINGER

A Nine Finger Technologies & Home Design dá uma nova dimensão aos projetos através de uma visão holística de serviços, combinando os diferentes saberes do design, arquitetura e a engenharia com a inovação da tecnologia. Atualmente, quais os serviços disponíveis ao mercado?

Atualmente, a Nine Finger Technologies & Home Design tem disponíveis os serviços de Home Design, Engenharia de Iluminação e Arquitetura Inteligente, que se fundem harmoniosamente. Fruto da minha experiência profissional e da experiência que adquiri no terreno, apercebi-me que, na área da construção, existe muita coordenação entre o construtor e o arquiteto, mas que o mesmo não acontece no que toca às especialidades. Esta falta de coordenação, resulta muitas vezes em falhas no projeto final. Na Nine Finger Technologies & Home Design isso não acontece, porque os nossos serviços funcionam em conjunto, como se de uma orquestra se tratasse. Os nossos projetos resultam de uma visão holística dos serviços que combinam três grandes saberes, design, arquitetura e engenharia, com a inovação tecnológica. Este ‘casamento’ perfeito entre os nossos serviços, permite-nos desenvolver projetos ‘chave na mão’.

A Nine Finger Technologies & Home Design é, atualmente, capaz de realizar desde a elaboração do projeto até à obra final. Para além disso, todos os projetos desenvolvidos pela Nine Finger Technologies & Home Design são acompanhados de fotorrealismo, que permite ao cliente perceber de forma mais real como o projeto vai ficar. Este serviço que prestamos faz toda a diferença, porque permite mostrar pormenores como o lighting design de uma forma muito realista e eficaz que transporta o cliente, automaticamente, para dentro daquele espaço. Atualmente, a Nine Finger Technologies & Home Design encontra o seu nicho de mercado região do Algarve, no entanto, um dos objetivos para o futuro próximo será alargar o raio de atuação e estender os nossos serviços ao resto do país com produtos complementares.

Na Nine Finger Technologies & Home Design, deixou-se de utilizar o termo domótica para a utilizar o termo arquitetura inteligente. Quais as principais diferenças entre ambas e qual a mais-valia da aposta em arquitetura inteligente na criação de espaços mais sustentáveis?

A domótica permite integrar controlar os equi­pamentos/sistemas elétricos. A arquitetura inteligente é quando usamos essa integração (dos diferentes sistemas elétricos na domótica), pensada de forma a criar ambientes saudáveis, energeticamente eficientes e confortáveis. Por outro lado, são sistemas transparentes aos olhos dos utilizadores, onde a intervenção deste último é mínima no controlo do ambiente do espaço.

A Nine Finger Technologies & Home Design destaca-se também no mercado por desenvolver projetos sustentáveis, harmoniosos, que pensam na solução como um todo e de acordo com as necessidades, gostos e sonhos dos clientes…

Na Nine Finger Technologies & Home Design conseguimos desenvolver projetos que vão de encontro aos gostos, mas também às especificidades de cada cliente, seja em relação à sua ocupação profissional, ou até à sua condição física. Já concretizámos projetos de espaços que se conseguiram adaptar a diferentes cenários, como é exemplo o que estamos a desenvolver, neste momento, para uma clínica. De facto, existem diversas tecnologias que nos permitem ir de encontro, não só aos gostos e sonhos dos clientes, mas também às necessidades específicas de cada um deles. Não nos podemos esquecer que a tecnologia tem de ser desenhada, pensada e dimensionada a pensar nos utilizadores dos espaços, e que tem que ser, efetivamente, útil. Para isso, primeiramente, procuramos saber quais são as necessidades do cliente, os seus gostos, os seus sonhos, mas também o que o mercado pede. Procuramos que todos estes aspetos sejam tidos em atenção para que o cliente veja este investimento, como um investimento racional que, para além de ir de encontro às suas necessidades específicas, vai também de encontro ao que o mercado pede na atualidade.

Nine Finger Technologies & Home Design
Nine Finger Technologies & Home Design

O futuro passa, cada vez mais, pelo equilíbrio entre o individual e o conjunto, a técnica e a estética?

Sim, sem dúvida. Não podemos nunca fazer uma descomunhão entre técnica e estética, porque isso é o principal problema que temos atualmente. Quando pensamos no design, temos que pensar que este vai exigir determinado tipo de equipamento para que a casa seja sustentável, confortável e que tenhas as condições necessárias. De facto, estética e técnica, têm de caminhar lado a lado. Deve existir uma harmonia entre estética e técnica, assim como deve existir entre o individual e o conjunto. Temos de olhar para as coisas individualmente, mas sem descurar a forma como funcionam em conjunto, como um todo. Exemplo disso mesmo, são os projetos desenvolvidos pela Nine Finger Technologies & Home Design em que existe harmonia e fluidez entre o espaço exterior e o interior.

Nine Finger Technologies & Home Design
Nine Finger Technologies & Home Design

Hoje, cada vez mais, a tecnologia deve estar ao serviço da arquitetura, engenharia e construção? Quais os principais benefícios da sua aplicação?

Sim, é indispensável a todos os níveis. Hoje em dia, não pensar em construir uma casa com tecnologia é o mesmo que pensar em produzir carros sem vidros elétricos. Até mesmo em termos energéticos, a tecnologia consegue apresentar soluções que contribuem para o aumento da eficiência energética das habitações. Todos sabemos que nem sempre é possível construir, por exemplo, uma habitação com a orientação ideal e nesses casos, a tecnologia consegue colmatar essas pequenas características e tornar a casa mais eficiente e sustentável. É inegável que a tecnologia vai, cada vez mais, fazer parte das habitações no futuro. Acredito que as pessoas já começam a compreender a importância das casas serem devidamente pensadas quando construídas, de modo a que sejam funcionais e mais sustentáveis. Hoje a atitude mais inteligente é optar por uma arquitetura, também ela, inteligente.

A pandemia mudou a forma como se ‘vive’ em casa. As horas passadas dentro de casa, durante o confinamento, levaram as famílias a priorizar determinadas características que até então não eram tão solicitadas?

De facto, a pandemia veio dar-nos uma visão diferente da nossa casa. O facto de passarmos mais tempo confinados aos diferentes espaços que compõem a nossa habitação, pode ter despertado a atenção de algumas pessoas em relação a determinados aspetos. Sinto, sobretudo, que, hoje em dia, as pessoas estão mais preocupadas em sentir que têm um ambiente mais saudável dentro de casa. Esse é de facto o aspeto que penso que está a ser mais tido em consideração. Curiosamente, esta já era uma preocupação da grande maioria dos clientes da Nine Finger Technologies & Home Design que, paralelamente a isso, têm também duas características muito interessantes. A primeira tem que ver com a preocupação com a iluminação natural, a segunda com a diferenciação. Os nossos clientes gostam de casas com personalidade.

As Tiny Houses vieram para ficar. São cada vez mais as pessoas que optam por estas casas pequenas que combinam inovação, funcionalidade, conforto e muita criatividade. Esta já é uma realidade também para a Nine Finger Technologies & Home Design?

Sim, já é uma realidade na Nine Finger Technologies & Home Design e, neste momento, temos já dois projetos pioneiros em plena Quinta do Lago onde, em 38 metros quadrados conseguimos criar dois apartamentos completamente funcionais, luminosos, muito bem dimensionados, e com muito glamour e tecnologia. Estes projetos são sempre muito desafiantes e exigem muita criatividade. O principal desafio prende-se com a dimensão reduzida dos espaços, que apesar de pequenos devem ser funcionais e conseguir satisfazer as necessidades dos moradores, mas também ter a capacidade de receber visitas, por exemplo. As Tiny Houses que estamos a desenvolver são por si só um enorme desafio, desde logo pelo facto de termos conseguido trazer este conceito para a Quinta do Lago, o que é algo inovador e pioneiro. De ressalvar que, apesar de estarmos a falar de Tiny Houses, estes projetos, à semelhança do que estamos habituados a ver na Quinta do Lago, são projetos de luxo em que todo o conforto e funcionalidade estão assegurados.

Nine Finger Technologies & Home Design
Nine Finger Technologies & Home Design

Na sua opinião, o que tem motivado a crescente procura por Tiny Houses?

Muitas pessoas estão a apostar cada vez mais no estilo minimalista, sem grandes consumismos. Esse é sem dúvida um dos grandes motivos que tem levado à procura das Tiny Houses. Por outro lado, hoje, cada vez mais, as pessoas, ou porque estão mais focadas no trabalho, ou por opção própria, optam por viver mais ‘solitárias’. Ora, as Tiny Houses conseguem satisfazer na perfeição as necessidades de conforto e de espaço nesses casos. Para além disso, o facto de serem habitações pequenas, aconchegantes e com um conceito inovador, acabam por despertar o interesse das pessoas. Não nos podemos esquecer que, apesar das suas dimensões reduzidas, as Tiny Houses permitem-nos implementar as mesmas tecnologias e funcionalidades que uma casa de maiores dimensões, por isso, acaba por ser a escolha de grande parte das pessoas que procuram conforto, tecnologia e funcionalidade, mas que não necessitam de um espaço de grandes dimensões.

O início de um novo ano traz consigo novas oportunidades. O que podemos esperar da Nine Finger Technologies & Home Design no futuro?

Apesar de 2020 ter trazido consigo inúmeros desafios, que afetaram milhões de empresas por todo o mundo, a Nine Finger Technologies & Home Design não sofreu o impacto trazido pela pandemia, tendo, inclusive, conseguido crescer. Esse será sempre o nosso principal objetivo, crescer e continuar a prestar um serviço de qualidade a todos os nossos clientes. A par disso, no futuro, gostaríamos de expandir os serviços complementares da Nine Finger ao resto do país. É um desejo que temos e que gostaríamos de concretizar num futuro próximo.

2021 será também o ano em que iremos apostar na área IoT, e em que iremos desenvolver mais uma Tiny House, desta vez em Albufeira. Este vai ser um projeto muito engraçado, interessante e desafiante. Por último, acredito que 2021 ficará sobretudo marcado por muita criatividade, muita inovação, muita diversão e surpresa, sempre, como não poderia deixar de ser, com um toque de tecnologia.

ninefingertech logo