Na aldeia de Joanes, Fundão, localiza-se uma das empresas mais influentes e referenciadas da indústria têxtil e vestuário portuguesa. Falamos da Twintex, uma empresa gerida pela família Mineiro que tem, desde a sua génese, a preocupação em valorizar a sua equipa e o ambiente que a rodeia. Com isso, tem criado bases para o sucesso que a tornam num exemplo de gestão.

 

Quando se fala do ramo empresarial do Fundão é inevitável referir a Twintex, o maior empregador região. São mais de 400 trabalhadores e um volume de faturação do grupo de quase vinte milhões. A fábrica de vestuário faz o desenvolvimento e a produção de blazers, casacos, calças, saias e vestidos. São parte do mundo da moda internacional, não fossem afinal os produtores de roupa de algumas das marcas de excelência do panorama internacional. A história da empresa que deu origem à Twintex começa quando, em 1979, António Mineiro decidiu erguer parte da tradição que vinha já da família, que trabalhava na indústria têxtil. À sua forma visionária de empreendedorismo, acrescentou os seus valores e fez crescer uma empresa que hoje tem quase 40 anos. Começou por produzir roupa de criança para o mercado interno, mas ao longo dos tempos foi-se adaptando às constantes exigências da indústria. O negócio foi-se internacionalizando, com os países escandinavos, crescendo de seguida para o norte da Europa e Estados Unidos da América.  Atualmente, exportam a totalidade da produção, sempre no segmento médio/alto. Ao leme da Twintex juntou-se a segunda geração, os filhos, Bruno Mineiro e Mico Mineiro, que vieram dar continuidade ao crescimento e sustentabilidade da empresa.

Colocada num segmento de mercado em que a qualidade é um fator inerente, a inovação na produção foi reformulada de várias formas pela Twintex. A reorganização das linhas de produção com controlo de qualidade constante veio “romper o modelo tradicional de produção”, por outro lado a inovação em máquinas e automatismos (alguns criados de forma personalizada para as necessidades da empresa) vieram completar aquela que é uma produção altamente especializada. São 1.200 peças que diariamente são ali produzidas e existem ainda, distribuídos pelo país, mais 18 fábricas de vestuário que complementam a produção da Twintex. Dos mais de 50 quilómetros de tecido que são cortados mensalmente, 40 por cento são nacionaais, uma forma de valorizar uma indústria que desde sempre teve uma grande relevância no mercado português. “Os nossos clientes têm uma grande tradição de comprar os tecidos em Itália e nós fazemos o trabalho de lhes propor os tecidos nacionais. Conseguimos um produto com a mesma qualidade a um custo mais baixo, nesse sentido ganha a Twintex e o nosso cliente”, explanou Bruno Mineiro.

Inovadores na conceção do produto e na gestão dos ativos, uma das preocupações constantes é valorizar as suas pessoas, o seu produto e o meio ambiente, nesse sentido, criaram dentro da empresa vários conceitos distintos. O Twintex Ecolife, o TwintexAcademy e o TwintexEvolution.

O Twintex Ecolife pretende demonstrar que ecologia e moda podem viver em harmonia. O conceito parte de uma preocupação e responsabilidade ambiental e tem o objetivo de estudar e implementar métodos ecologicamente conscientes. “A questão ecológica aparece sustentada por uma questão social, é o nosso relacionamento com a comunidade interna e externa”, esclareceu Bruno Mineiro. A Twintex pode orgulhar-se de produzir 55 por cento da energia que consome, sendo a fábrica da indústria têxtil a que mais energia produz. Implementou também um sistema de aproveitamento da água das chuvas e um poço, com objetivo de evitar o consumo de água da rede municipal. O aquecimento de água utilizado na produção é realizado através de painéis solares e o vapor é reaproveitado num sistema inovador que reduz em 40 por cento a sua perda. “Em primeiro lugar o planeta, em segundo o custo. Temos de ter a coragem de implementar e potencializar estes recursos”, reforçou Bruno Mineiro.

O Twintex Ecolife vem também de encontro a valorizar aquele que é, para a administração, o ativo mais importante da empresa, as pessoas. “As empresas são as pessoas que as compõem e esse é o nosso maior capital. Partimos do pressuposto que a nossa equipa terá melhor desenvolvimento se estiver motivada então juntamos algumas ferramentas para estimular as nossas pessoas”, começou por explicar Bruno Mineiro. O conceito ‘Ecolife’ faz parte de um plano de reconhecimento do capital humano da empresa e do sentido de responsabilidade social e económica que uma grande empresa deve ter. É de destacar o facto de a Twintex ser uma empresa que oferece aos seus colaboradores um vencimento acima da média, mas a preocupação social vai além disso. A empresa criou o Twintex Life Card (que se estende a todo o agregado familiar) que oferece vários descontos no comércio e serviços da cidade (vão desde a piscina à gasolina, o dentista, ginásios, supermercados, etc). Na saúde fazem vários controlos e rastreios: “encontramos já dois casos muito embrionários de cancro e através de alguns contatos na rede de saúde pública conseguimos que esses casos fossem resolvidos”, elucidou Bruno Mineiro. A empresa promove também alguns eventos dedicados à família como o regresso às aulas em que oferece às crianças o material escolar necessário. Para Bruno Mineiro o essencial é passar o valor de paixão pelo negócio e pela empresa: “partilhamos esse valor e difunde-se pela pirâmide da fábrica, isso é marcante e indissociável do nosso êxito”, disse.

A Twintex Academy, surgiu com o intuito de qualificar e requalificar a mão de obra da empresa. “Tanto serve para fazer um refresh aos nossos funcionários como para introduzir pessoas novas em toda fábrica”. É um conceito que urge para implementar os valores e funcionamento da empresa bem como visa preparar os recursos humanos para as exigências do mundo da moda.

Por fim, a Twintex Evolution vai de encontro às necessidades e à evolução da empresa. “Pretende questionar tudo aquilo que nós fazemos. Tudo o que fizemos até agora é já parte do passado e temos de nos focar no futuro e nos próximos passos. É um conceito desafiador de tudo o que fazemos”, referiu Bruno Mineiro. Parte do projeto é um novo departamento de desenvolvimento criativo, com a função de propor ideias complementares às do cliente. “O cliente apresenta as suas próprias ideias e nós fazemos um update e propomos algumas alterações. Temos um grande potencial em design de moda e queremos tentar aproveitar esse mesmo talento”, acrescentou Bruno Mineiro. No ponto de visto tecnológico reflete-se essencialmente na parte de automatismos: “hoje temos na fábrica à nossa disposição tecnologia que foi feita de forma personalizada para as nossas necessidades”, rematou.

As bases para o sucesso têm sido reforçadas, os valores da paixão pelo negócio e a valorização das pessoas como essenciais para o êxito da empresa têm dado à Twintex o estatuto de uma das empresas nacionais de referência, quer no desenvolvimento de negócios e faturação como na evolução e gestão. É uma empresa onde a “qualidade é vivida de forma obsessiva” e onde o rigor está sempre presente. Em jeito de conclusão, Bruno Mineiro abriu o pano sobre os projetos de futuro da Twintex: “queremos criar uma plataforma logística para girar matérias primas e produtos acabados. Precisamos de uma estrutura, mais uma vez, que seja amiga do ambiente, como tal temos de fazer essa expansão que pode implicar a contratação de mais 50 pessoas. Queremos também explorar os mercados da Austrália e da nova Zelândia”, concluiu Bruno Mineiro.