Tomou posse a 14 de maio como Reitor da UTAD, Emídio Gomes conta já com um plano estratégico bem definido para o futuro da academia transmontana. Em entrevista, apresenta as principais prioridades para o próximo ano letivo.

Emídio Gomes, Reitor da UTAD
Emídio Gomes, Reitor da UTAD

Consolidar as áreas core da universidade, requalificar e modernizar os espaços de ensino e investigação, apostar num programa imediato de investimento e na melhoria das condições de salas e laboratórios são os grandes objetivos do mandato do Reitor da UTAD. Em paralelo, Emídio Gomes vai acompanhar os desafios do impulso jovem e da formação de adultos no âmbito do PRR (Plano de Recuperação e Resiliência), as agendas mobilizadoras, a construção de residências universitárias e a renovação da adega experimental.

Objetivos estratégicos da nova reitoria

Entre os vários objetivos estratégicos, Emídio Gomes assegura que um dos primeiros passos será a consolidação do número de estudantes. No primeiro ciclo, são preenchidas, habitualmente, 95 por cento das vagas, o que não acontece no segundo ciclo. Contrariando esta realidade, foi definida uma estratégia de maior capacidade de fixação daqueles que frequentam o primeiro ciclo na UTAD e que querem continuar os estudos na Universidade. O desafio é que, até 2023, seja duplicado o número de alunos nos segundos e terceiros ciclos. A par desta estratégia, pretende-se também aumentar o número de alunos com origem em países de Língua Portuguesa, alcançando os oito mil alunos.

Oferta formativa ajustada

A nova reitoria da UTAD aposta no alargamento da formação nos domínios da saúde, através da criação de um Centro Académico Clínico em parceria com o Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro, encarando, no futuro, o desafio da formação médica. No âmbito geral, haverá um reforço das áreas core, como Ciências Veterinárias, Agroalimentar, Viticultura e Enologia, Ciências do Desporto e Ciências Sociais. Em Ciências da Engenharia, a Universidade está a aumentar o número de graduados na área das competências digitais, nomeadamente em Engenharia Informática, na área da eletrotecnia, numa parceria com o Porto. Também com a Universidade do Porto foi recentemente estabelecida uma parceria para o curso de Engenharia Florestal.

UTAD: uma eco-universidade para o futuro

O posicionamento da UTAD no âmbito da sustentabilidade está presente na requalificação do campus, o que conduzirá à diminuição de carros dentro do espaço. Ao nível da eficiência energética, a Universidade tem melhorado bastante, assumindo-se como uma “universidade sustentável” e ambientalmente certificada. Uma requalificação que conta com a parceria do Município de Vila Real, que cedeu à Universidade uma parte do PEDU (Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano). Aproveitando os fundos comunitários, serão feitas intervenções nas áreas mais técnicas. No âmbito desta requalificação, será construída uma nova residência dentro do campus, para além da recuperação de três edifícios antigos para estudantes de pós-graduação e visitantes.

Para Emídio Gomes, a UTAD tem o melhor campus universitário de Portugal do ponto de vista paisagístico, o que é um fator de atratividade. A estratégia futura é dar uma grande atenção do ponto de vista da investigação e da formação de graduados e pós-graduados nos domínios das alterações climáticas. A UTAD quer estar na vanguarda da agricultura de precisão, enquanto fator de sustentabilidade.

Ano letivo 2021-2022

O Reitor partilha a esperança de que a oferta formativa do primeiro ciclo seja preenchida dentro das fases regulares. Relativamente aos mestrados e aos doutoramentos, cujas inscrições encerram no final de setembro, estima-se um aumento expressivo. No próximo ano letivo, os estudantes terão uma universidade amiga, o melhor campus para estudar, um ambiente único e uma associação académica empenhada e responsável.

Mais informação sobre inscrições para licenciaturas e mestrados integrados – ano letivo 2021/2022

logo utad azul - Portugal em Destaque
2ª fase licenciaturas UTAD Portugal em Destaque