O modelo de Taiwan que serve de exemplo para o mundo

VIVIA CHANG
Ao centro a representante de Taiwan em portugal, EMB VIVIA CHANG

Taiwan é um dos locais menos afetados pela pandemia, tornando o país um exemplo para todo o mundo. Foi com o objetivo de compreender melhor este modelo de sucesso que entrevistámos a Representante de Taiwan em Portugal, Emb. Vivia Chang, que aproveitou para relembrar a importância da cooperação entre os vários Estados no combate ao vírus.

A resposta de Taiwan, à pandemia do coronavírus mostrou-se uma das mais eficazes do mundo, suscitando interesse e curiosidade por parte de diversos países. Qual a estratégia de Taiwan no combate ao novo coronavírus?

O vírus teve um enorme impacto na política global, emprego, economia, comércio e sistemas financeiros. Graças aos esforços unidos de todo o seu povo, Taiwan respondeu às ameaças representadas por esta pandemia através de quatro princípios: ação prudente, resposta rápida, implementação antecipada, abertura e transparência.

Adotando estratégias como a operação de sistemas de comando especializados, a implementação de medidas meticulosas de controlo de fronteiras, a produção e distribuição adequada de abastecimentos de recursos médicos, o recurso à quarentena domiciliária e medidas de isolamento e serviços de cuidados relacionados, a aplicação de sistemas de TI, a publicação de informações transparentes e abertas e a execução de triagem e testes precisos, tivemos a sorte de conter o vírus.

VIVIA CHANG
O surto global de COVID-19 lembrou ao mundo que as doenças infecciosas não conhecem fronteiras e não discriminam segundo critérios políticos, étnicos, religiosos ou culturais.

Considera que o modelo de Taiwan pode ajudar outros países a combater a pandemia?

O surto global de COVID-19 lembrou ao mundo que as doenças infecciosas não conhecem fronteiras e não discriminam segundo critérios políticos, étnicos, religiosos ou culturais.

As nações devem trabalhar juntas para enfrentar a ameaça de doenças emergentes. Por esse motivo, depois de Taiwan ter estabilizado a sua contenção do vírus e garantido que as pessoas tinham acesso suficiente a recursos médicos, começámos a compartilhar a nossa experiência e fornecer equipamento médico para outros países com necessidades. Em junho, Taiwan já tinha realizado cerca de 80 conferências online, compartilhando o modelo de Taiwan com especialistas de governos, hospitais, universidades e grupos de reflexão em 32 países. Havíamos também doado 51 milhões de máscaras cirúrgicas, 1,16 milhões de máscaras N95, 600 mil batas de isolamento e 35 mil termómetros de testa para mais de 80 países. Em Portugal, duas instituições receberam de Taiwan 100 mil máscaras cirúrgicas logo no início da pandemia. A declaração sobre a comemoração do 75.º aniversário das Nações Unidas, reconhece que só trabalhando juntos em solidariedade podemos acabar com a pandemia e enfrentar eficazmente as suas consequências. O modelo de Taiwan pode, efetivamente, ajudar outros países a combater a pandemia. A comunidade mundial precisa de Taiwan.

Hoje, Portugal mantém relações não oficiais com Taiwan e foram já várias as colaborações entre ambos…

Uma das principais colaborações foi em relação aos incêndios florestais que atingiram Portugal em 2017. A Fundação Tzu Chi, em Taiwan, organizou uma equipa de voluntários da Europa e América para avaliar os danos nos municípios portugueses, e decidiu entregar donativos às vítimas dos incêndios. Durante 2018 e 2019, a fundação taiwanesa entregou também cerca de 50 mil donativos a mais de 900 famílias portuguesas. Não podemos ainda esquecer que, no início de 2020, a Fundação Tzu Chi ofereceu mais uma vez máscaras para os necessitados. Para além disso, desde 2014, o Escritório Florestal do Conselho da Agricultura de Taiwan iniciou um programa para apoiar o GEOTA a manter as funções educativas e ecológicas no Paul de Tornada, nas Caldas da Rainha.